Alagoas

Horta do sistema prisional produz mais de 27 toneladas alimentos no 1º semestre

08/07/16 - 07h35 - Atualizado em 08/07/16 - 07h38
Agência Alagoas

A colheita do milho acabou, mas a produção de alimentos segue a todo ritmo na horta do sistema prisional. Com 70 mil metros quadrados de território, a horta produziu, no primeiro semestre deste ano, mais de 27 toneladas de alimentos, gerando trabalho para 30 reeducandos.

Por não utilizarem defensivos agrícolas na plantação, os produtos colhidos são mais saudáveis e benéficos para a saúde de quem consome e para o meio ambiente. Atualmente são cultivados 14 tipos de produtos alimentares: milho, macaxeira, batata doce, cenoura, pimentão, quiabo, couve, abóbora, pepino, feijão de corda, melancia, pimenta de cheiro, vagem e abobrinha.

Além de servir como atividade terapêutica, tirando os reeducandos da ociosidade, fortalecendo a política de ressocialização e promovendo a reintegração dos internos, o trabalho com a terra traz outros benefícios para os custodiados, como a remição da pena, a garantia de uma fonte de renda e a profissionalização do interno, preparando para o mercado de trabalho após o cumprimento da pena.

Para o Estado, a economia também é sentida, já que todos os mantimentos produzidos são encaminhados para o setor de aprovisionamento do sistema prisional, e posteriormente são distribuídos entre as unidades do sistema que possuem cozinha em suas dependências.

Para a gerente de Educação, Produção e Laborterapia, Andréa Rodrigues, o trabalho com a terra tem sido benéfico para os reeducandos em diferentes esferas.

“Percebo é que para muitos reeducandos, o trabalho com a terra resgata suas origens, a terra retoma os valores familiares. Vejo na atitude deles, no cotidiano, que o contato com o sol e a terra oferece uma sensação de liberdade. Consequentemente, acredito que esta atividade "planta" nos corações daqueles homens a esperança de dias melhores”, afirmou a gestora.

Horta em números

A produção de alimentos no sistema prisional cresce a cada ano. Em 2015 foram produzidas cerca de 30 toneladas de mantimentos agrícolas, este ano, apenas no primeiro semestre já foram produzidos 27.460 kg de alimentos conforme dados a seguir: cinco mil espigas de milho; 14.523 kg de macaxeira; 11.285 kg de batata doce; 270 kg cenoura; 90 kg de pimentão; 50 kg de quiabo; 180 kg de couve; 340 kg de abóbora; 102 kg de pepino; 80 kg de feijão de corda; 330 kg de melancia; 30 kg de pimenta de cheiro; 50 kg de vagem e 80 kg de abobrinha.