Brasil

Ilhéus: suplentes assumem na vaga de vereadores presos durante operação

Bahia Notícias | 23/05/19 - 15h30 - Atualizado em 23/05/19 - 15h51
Divulgação

Três vereadores suplentes foram empossados na Câmara de Ilhéus, no sul baiano, devido ao afastamento de outros três legisladores, incluindo dois ex-presidentes da Casa, pela Operação Xavier. O edil Reynaldo Oliveira dos Santos [Zé Neguinho] entrou no lugar de Tarcísio Paixão, e Carlos Augusto Cardoso da Silva [Augustão] assumiu no lugar de Lukas Paiva. Um terceiro vereador, Gilmar Sodré, também tomou posse na vaga de Aldemir Santana. O edil, que não foi preso, teve o afastamento decretado pela Justiça sob acusação de ameaçar de morte uma testemunha.

Os três novos legisladores já participaram das duas sessões semanais da Câmara de Ilhéus, que ocorrerm às terças-feiras e quartas-feiras pela tarde. Procurado pelo Bahia Notícias, o presidente da Câmara local, César Porto, informou que os edis ainda têm direito a retornar à Casa, no entanto, caso o tempo em reclusão passe de 120 dias, o afastamento será definitivo, por falta, com a perda do mandato.

O presidente da Casa disse que se surpreendeu com o decreto de prisão preventiva dos vereadores. "Me surpreendi por ser um fato novo, mas a Justiça vai decidir. O Ministério Público também está fazendo um bom trabalho. Cabe agora aguardar o que vai ser feito", comentou. Os vereadores suplentes, assim como os afastados, integram a base do prefeito Mário Alexandre, o Marão.

Conforme o promotor Franki Ferrari, seguem ainda foragidos nesta quinta-feira (23), o ex-presidente da Câmara e vereador Lukas Paiva e o empresário Leandro Silva Santos. A Operação Xavier foi deflagrada após investigação que apontou um esquema de fraudes em licitações, contratos e lavagem de dinheiro no âmbito da Câmara de Ilhéus. Os crimes teriam ocorrido entre 2011 e 2018.