Maceió

IML de Maceió identifica corpo de mulher encontrado na Grota do Ari

Ascom POAL | 05/01/22 - 13h13 - Atualizado em 05/01/22 - 13h19
Ascom POAL / Reprodução

O corpo do sexo feminino encontrado ontem (04), no Conjunto Claudionor Sampaio no bairro do Jacintinho em Maceió foi identificado pelo Instituto de Medicina Legal Estácio de Lima (IML). A vítima é a jovem Graziela Thalita Pereira, de 21 anos de idade que residia próximo ao local onde o cadáver foi encontrado, região conhecida como Grota do Ary.

A identificação oficial foi realizada através de um exame chamado de necropapiloscopia. A equipe de papiloscopia do Instituto de Identificação capturou e confrontou as digitais do cadáver com arquivo civil do órgão, onde foi localizada o prontuário da carteira de identidade de Graziela Pereira, comprovando tecnicamente a identidade da vítima.

Segundo o perito médico legista Avelar Holanda, responsável pelo exame de necropsia no corpo da vítima, mesmo com o cadáver em estado de decomposição foi possível definir a causa do óbito. Graziela Pereira morreu em decorrência de Traumatismo Cranioencefálico (TCE) provocado por instrumento contundente.

“Apesar do estado avançado de decomposição, verifiquei que ela sofreu um trauma no lado direito da face, que produziu uma fratura na mandíbula, da órbita, e um traumatismo na base do crânio, caracterizando o TCE. Foi um trauma muito forte provocado por um objeto não identificado”, explicou o perito médico legista.

A partir de agora, o médico irá preparar o laudo com todos os detalhes do exame cadavérico que quando estiver pronto será encaminhado para a delegacia que investiga o caso. Após a confirmação da identidade da vítima, o corpo foi liberado para familiares que aguardavam no IML o resultado dos exames.

Achado do cadáver - O corpo de Graziela Thalita foi encontrado dentro de uma casa desocupada que era utilizada como depósito de materiais de construção na Grota do Ary, no Jacintinho, em Maceió. Moradores acharam o cadáver coberto por tijolos, após sentir um forte odor vindo do interior da residência. Eles acionaram a polícia que isolou a área para a realização da perícia criminal pelo Instituto de Criminalística.