Interior

Incêndio em prédio onde funciona o 'Bolsa Família' em Arapiraca pode ter sido criminoso

TNH1 | 27/02/21 - 14h55 - Atualizado em 27/02/21 - 17h37
Cortesia

Equipes do Corpo de Bombeiros combateram um incêndio de médias proporções, na manhã deste sábado (27), no prédio onde funciona o Programa Bolsa Família no município de Arapiraca, Agreste de Alagoas. A suspeita é de que o fogo foi causado de forma intencional e o caso vai ser investigado pela polícia. Apesar do susto, não houve registro de feridos.

A assessoria da Prefeitura de Arapiraca confirmou que como há desconfiança de o incêndio ter sido criminoso, a secretária de Desenvolvimento Social, Fabricia Galindo, esteve junto com a equipe na Central de Polícia para prestar queixa nesta manhã. Câmeras de monitoramento podem ajudar nas investigações.

A informação preliminar foi da perda de cinco computadores, duas impressoras, móveis e o comprometimento de toda a estrutura do prédio. Também haviam documentos no local.

A prefeitura também informou que o atendimento do Bolsa Família será suspenso temporariamente por cerca de uma semana, mas será reativado no prédio do CAIC, no bairro Santa Edwiges.

Devido à pandemia, eram realizados cerca de 70 atendimentos por dia, e por agendamento, no prédio. Apenas 20 eram considerados atendimentos de urgências ou situações extras.

O município reforçou que a sequência de atendimentos não deve ser prejudicada e que todas as demandas vinham através de agendamento via CRAS. 

Invasão em outros prédios

Outros prédios relacionados à prefeitura da cidade foram atacados no mesmo período nesta manhã. A Coordenação Geral da Comunicação do município confirmou as invasões. A polícia também vai investigar se os crimes têm ligação com o incêndio no prédio do 'Bolsa Família'.

Na edificação onde guardava arquivos da Câmara Municipal, fios de cobre foram furtados. Uma pia chegou a ser desmontada e deixada na porta, mas acabou sendo abandonada pelo criminoso. A caixa do ar condicionado foi danificada para que fios fossem arrancados.

Já em um CRAS, situado na comunidade Mangabeiras, um ar condicionado, um roteador de internet, e um botijão de gás foram levados. Portas e móveis foram quebrados e os arquivos foram molhados com água e álcool. 

Os órgãos registraram Boletim de Ocorrência na delegacia.