Tecnologia

iPhone 11 tem câmera dupla, design colorido e tela LCD

Tecnoblog | 10/09/19 - 15h19 - Atualizado em 10/09/19 - 16h12

A Apple apresentou nesta terça-feira (10) os novos iPhones. O iPhone 11 é o modelo que entra no lugar do iPhone XR, com características mais simples, tela LCD e câmera dupla, enquanto o iPhone 11 Pro e o iPhone 11 Pro Max são os celulares premium com três lentes na traseira, processador Apple A13 Bionic e painel OLED de 5,8 ou 6,5 polegadas.

Embora a nomenclatura sugira uma renovação mais profunda, temos uma atualização incremental nos iPhones de 2019. No design, os aparelhos mantém a construção de vidro e metal, além do notch na parte superior da tela. O método de desbloqueio é o Face ID, que projeta pontos no seu rosto para fazer reconhecimento facial por meio da câmera TrueDepth. Não há leitor de impressões digitais.

Comecemos pelo iPhone 11. Ele possui tela Liquid Retina (ou seja, LCD) de 6,1 polegadas com notch para o Face ID, alto-falante com suporte a Dolby Atmos para um som mais imersivo e visual parecido com o iPhone XR, em seis cores: preto, branco, lilás, verde, amarelo e vermelho. Sua bateria promete uma hora de autonomia a mais em relação ao antecessor.

A principal mudança em relação ao modelo anterior está em fotografia: em vez de uma única lente na traseira, temos um sistema de câmera dupla, sendo uma principal de 12 megapixels com lente de abertura f/1,8 e estabilização óptica de imagem; e uma ultrawide de 12 megapixels, abertura f/2,4 e campo de visão de 120 graus. A câmera de selfie tira fotos de 12 megapixels.

No software, a Apple desenvolveu um modo noturno, que permite capturar mais detalhes e cores vivas mesmo com pouca luz. É possível filmar em 4K a 60 quadros por segundo, inclusive com a câmera frontal, e o alcance dinâmico foi aprimorado em comparação com o modelo passado.

O processador é o Apple A13 Bionic. Como de costume, a empresa afirma que este é o “processador mais poderoso em um smartphone”. Segundo a Apple, a CPU é mais rápida que o Snapdragon 855 do Samsung Galaxy S10+ e o Kirin 980 do Huawei P30 Pro, enquanto o chip gráfico é mais poderoso que o presente no A12 Bionic — que, por sua vez, já tinha mais poder de fogo que os concorrentes com Android.

Nos Estados Unidos, o iPhone 11 será vendido com preços a partir de US$ 699.