Maceió

Jogador recebe alta médica do HGE seis dias depois de ser esfaqueado por dirigente

TNH1 | 06/07/22 - 11h48
João Guilherme estava internado na unidade de saúde | Cortesia ao TNH1

Seis dias depois, o jogador de futebol João Guilherme Clemente da Silva, que foi esfaqueado por um dirigente do FF Sport Nova Cruz, time da segunda divisão do Campeonato Alagoano, recebeu alta médica do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió. O atleta deu entrada na unidade de saúde na manhã do dia 30 e passou por cirurgia depois de ter sido atingido por faca na região do tórax.

Por meio de nota, enviada à reportagem no final da manhã de hoje, o HGE confirmou a liberação de João Guilherme. "O Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, informa que o paciente João Guilherme Clemente da Silva, de 21 anos, recebeu alta médica na manhã de hoje (06). Ele chegou no último dia 30, com ferimentos por arma branca na região superior do tórax".

Ao TNH1, João Guilherme, o "Cabelinho", contou que agora vai repousar na casa da família. A previsão é de que ele fique fora dos gramados por cerca de seis meses, enquanto se recupera dos ferimentos na barriga, no pescoço e no braço. Durante o período, o clube alagoano vai pagar o salário do jogador e se comprometeu em dar toda a assistência para ele.

Em entrevista ao TNH1, nessa terça, João Guilherme deu detalhes da tentativa de homicídio que sofreu, e afirmou estar tranquilo, focado na recuperação para poder voltar a treinar com bola. Ele também afirmou que não tinha nada contra o agressor, o gerente de futebol Anderson Salgueiro, que fugiu depois do crime e ainda não foi localizado.

A Polícia Civil investiga o caso e deve convocar o atleta, assim como a mãe dele, para prestar depoimento nos próximos dias.

O caso - João Guilherme Clemente da Silva foi esfaqueado pelo gerente de futebol do FF Sport Nova Cruz, da segunda divisão do Campeonato Alagoano, depois de uma briga iniciada pela ida do atleta a uma festa de São Pedro na cidade de Pilar. A Polícia Militar foi acionada por volta das 9h da manhã do dia 30 de junho e confirmou que o suspeito fugiu depois do ataque.

Segundo relato da testemunha, um grupo de jogadores saiu para aproveitar o último dia de festividades juninas na cidade. No momento em que eles estavam no alojamento do clube, no Centro de Pilar, e se preparavam para sair para treinar, houve o desentendimento do dirigente com João Guilherme.

Por meio de nota, a diretoria do FF Sport Nova Cruz informou que lamenta a situação e que presta apoio ao atleta do clube. O clube reiterou o compromisso de ser contra qualquer tipo de violência e segue aberto para colaborar com as investigações policiais.