Alagoas

Judiciário discute parceria com a PM para contratar policiais da reserva

Assessoria | 18/06/19 - 21h02 - Atualizado em 19/06/19 - 08h06
Divulgação/Assessoria

O presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL), desembargador Tutmés Airan de Albuquerque, debateu, nesta terça-feira (18), com o comandante-geral da Polícia Militar de Alagoas (PMAL), coronel Marcos Sampaio, detalhes de uma parceria que visa contratar policiais da reserva. A princípio, 100 policiais contratados farão a segurança de unidades judiciárias do interior do estado.

O desembargador Tutmés Airan destacou que, mesmo sendo da reserva, os militares continuam submetidos ao controle da Corregedoria Geral da Polícia Militar e que a PMAL também que ficaria responsável pela realização de testes, exames de saúde para verificar quem está apto a exercer a função, treinamento e armamento.

“A ideia é que os PMs da ativa que estão fazendo a segurança dos fóruns voltem para as ruas e essa guarda os substitua. Umas das questões que eu julgo mais importante é exatamente essa, nós estamos, na prática, diminuindo o trabalho da polícia propriamente estatal e a gente sabe das carências. Além disso, vamos continuar com uma mão de obra qualificada, afinal quem vamos contratar foi polícia a vida toda”, explicou o presidente.

O coronel Marcos Sampaio, explicou que a Paraíba já contrata policiais da reserva para cuidarem da segurança de órgão públicos do Judiciário e do Executivo. Segundo o comandante-geral, a iniciativa do TJAL tem todo o apoio da Polícia Militar.

“São policias que serviram a vida toda na área da segurança pública. Com a parceria, ganha o TJAL porque vai ter o pessoal específico para fazer a segurança, ganha a sociedade porque os policiais que estão hoje nos fóruns ficarão disponíveis na ir às ruas fazer o policiamento e também ocupa nosso pessoal da reserva que, às vezes, sai da corporação e procura uma atividade que ele nunca trabalhou”, disse o coronel.

O edital de contratação, que ainda não tem data para ser publicado, será divulgado no site do Tribunal. O tenente-coronel Holanda também participou da reunião representando a Assessoria Militar do Tribunal.

"