Justiça

Justiça determina soltura da mãe do prefeito de Junqueiro, presa por homicídio

TNH1 | 09/04/21 - 09h36 - Atualizado em 09/04/21 - 10h15
Arquivo

Maria Rejane da Silva, condenada a 13 anos de prisão por homicídio, teve alvará de soltura concedido pela Justiça alagoana nessa quinta-feira, 08. Ela é mãe do prefeito de Junqueiro, Leandro Silva (PTB), e havia sido localizada e presa numa casa na última terça-feira.

A 16ª Vara Criminal da Capital, por meio do juiz Antônio Rafael, explicou que Maria Rejane deu início ao cumprimento da pena em regime fechado em março de 2018, porém, dois meses depois, passou a cumprir prisão domiciliar, devido ao seu estado de saúde à época.

Já em maio de 2020, a mulher progrediu para o regime semiaberto e a Justiça entendeu que não houve descumprimento desde então. Por isso, o juiz Antônio Rafael considerou um equívoco o recolhimento da mesma após decisão da Justiça de Teotônio Vilela.

"RELAXAMOS, assim, a prisão da senhora Maria Rejane da Silva, determinando que seja a mesma, imediatamente, posta em liberdade, se por outro motivo não estiver presa", consta no documento.

O caso

Maria Rejane e o marido, André Luiz Pereira da Silva, pai do prefeito Leandro Silva, são acusados de homicídio por motivo fútil.

Segundo a sentença, André Luiz segurou Hélio Maurício da Silva enquanto Maria Rejane desferiu 17 facadas. O motivo teria sido o roubo de uma carteira pela vítima. 

O crime aconteceu em 2005 e a sentença é de 2009. André Luiz está preso desde o ano passado, quando foi localizado em Pernambuco.