Saúde

Maceió é a terceira capital com 'forte crescimento' para síndrome respiratória aguda grave

Infectologista Fernando Maia dá dicas para prevenção da doença 

Eberth Lins com TV Pajuçara | 26/11/20 - 10h33 - Atualizado em 26/11/20 - 10h59
Foto: Reprodução

Maceió é a terceira capital do Brasil com "sinal forte de crescimento" de casos síndrome respiratória aguda grave (SRAG), segundo o monitoramento semanal Infogripe da Fiocruz.

O mais recente levantamento da Fundação alertou para um aumento de casos da síndrome em todo o Brasil, onde Alagoas aparece com "tendência de aumento para metade das macrorregiões de saúde".

Os casos de SRAG estão diretamente ligados à pandemia de Covid-19 e o crescimento coloca em alerta as autoridades de saúde, conforme explicou o infectologista Fernando Maia em entrevista à TV Pajuçara.

"O surto da síndrome acontece todos os anos e antes da Covid a principal causa era a influenza, mas este ano a principal causa é o coronavírus. As pessoas precisam lembrar que pandemia não acabou. Os casos estão aumentando e isto é porque a população, de maneira geral, pensa que a pandemia chegou ao fim", alertou.

Maia ressaltou ainda a importância de seguir protocolos sanitários para o controle da pandemia. "O uso de máscaras, a lavagem das mãos e o distanciamento social seguem sendo imprescindíveis para controlar a situação do vírus", reforçou o especialista.

Confira a entrevista completa: