Meio Ambiente

Mais de 1,5 bilhão de toneladas de máscaras acabaram no mar em 2020, alerta entidade

Extra | 28/12/20 - 17h04 - Atualizado em 28/12/20 - 17h07
Reprodução

Estima-se que mais de 1,5 bilhão de máscaras, usadas para combater a pandemia do coronavírus, entraram nos oceanos em 2020, resultando entre 4.680 e 6.240 toneladas métricas adicionais de poluição marinha por materiais plásticos.

De acordo com um relatório recente, as máscaras podem levar até 450 anos para se decompor, transformando-se gradualmente em microplásticos, ao mesmo tempo em que têm um impacto profundamente negativo na vida selvagem e nos ecossistemas marinhos.

O documento, publicado pela entidade ambientalista OceansAsia, usou uma estimativa de produção global de 52 bilhões de máscaras feitas em 2020, uma taxa de perda conservadora de 3% e o peso médio de três a quatro gramas para uma máscara facial descartável.

O consumo de plástico tem aumentado constantemente durante anos e tem registrado um aumento significativo em 2020 devido à pandemia.

"Preocupações com a higiene e a maior dependência de alimentos para viagem levaram ao aumento do uso de plásticos, principalmente embalagens plásticas. Enquanto isso, uma série de medidas destinadas a reduzir o consumo de plástico, como proibições de sacolas plásticas descartáveis, foram adiadas, pausadas ou revertidas", disse Gary Stokes, diretor de Operações da OceansAsia, citado pelo site "Unilad".