Alagoas

'Meu filho não é bandido', diz mãe de estudante que teria postado ameaça nas redes

João Victor Souza | 24/05/19 - 17h25 - Atualizado em 24/05/19 - 17h50
O desenho que faria alusão a massacre (à esquerda) e a mensagem supostamente ameaçadora divulgada nas redes sociais | Divulgação

“Meu filho não é bandido, não é marginal, é apenas um adolescente que está estudando e começando a vida agora”. O desabafo é da mãe do aluno do Instituto Federal de Alagoas (Ifal), Campus Satuba, apontado nas redes sociais como o responsável por divulgar uma mensagem interpretada por estudantes e pais como ameaça, além de ter sido o suposto criador de um desenho que fazia alusão a um massacre.

A mãe, que preferiu não ser identificada, enviou um vídeo com exclusividade para a redação do TNH1, na tarde desta sexta-feira (24), e contou que há pessoas que têm intenção de "destruir a vida do filho". Ela disse também que está desesperada com a situação.

“É uma brincadeira maldosa de quem quer prejudicar ele. Inclusive, ele não quer mais estudar e está sem sair de casa por conta dessas ameaças. Eu, como mãe, estou desesperada. Quero tirar essa imagem mentirosa do meu filho que está nas redes sociais”, disse.

Ainda segundo ela, o aluno tira boas notas e gosta de estudar. “Ele é elogiado por todos os professores. As armas que colocaram nas redes sociais falaram que eram deles, isso é tudo mentira. Essas frases são mentiras, ele não colocou. É alguma pessoa querendo prejudicar a vida do meu filho”, lamentou-se.

No vídeo, a mãe do estudante afirmou que já está à procura de Justiça e espera que o caso seja esclarecido o mais breve possível. “Estou procurando os meus direitos e os do meu filho também, pois todos têm direito de resposta. Tenho certeza que a Justiça da terra e a Justiça divina vão esclarecer tudo isso que está acontecendo. Isso vai ser esclarecido perante a lei”, finalizou.

Assista:

O caso

Na manhã dessa quinta-feira (23), militares do 8º Batalhão da Polícia Militar foram acionados para averiguar uma possível ameaça de um dos alunos do Ifal da cidade de Satuba, postada nas redes sociais.

A mensagem feita pelo aluno foi um desenho com vários bonecos representando alunos da instituição e uma frase, interpretada por estudantes e pais como ameaça.

A polícia informou que não houve confirmação de crime e a direção do Ifal comunicou que o aluno foi assistido por uma psicóloga.

A instituição emitiu uma nota com o posicionamento oficial na tarde dessa quinta-feira. 

Confira a nota na íntegra:

Nota de esclarecimento sobre especulação de atentado no Campus Satuba (n°2)

Sobre o episódio especulativo de atentado no Instituto Federal de Alagoas (Ifal) - Campus Satuba, a Direção Geral vem a público informar:

1 - Não existiu qualquer atentado ou agressão física envolvendo estudantes ou servidores;

2 - A Polícia Militar esteve no campus, mas não foi formalizada nenhuma denúncia pela gestão, que ainda efetuava os levantamentos internos para a elucidação da situação;

3 - Não houve nenhuma conclusão sobre a autoria dos desenhos e frases postados, nem de que havia intencionalidade em materializá-los;

4 - Apesar da negativa do estudante a quem se imputa a autoria das ameaças, a instituição esteve com a família e realizou o encaminhamento ao serviço público de saúde, que irá solicitar atendimento especializado;

5 - No campus, os setores responsáveis estão redigindo um relatório a respeito do que se apurou sobre o caso para encaminhar ao Conselho Tutelar;

6 - A instituição está atuando com o apoio da equipe multidisciplinar para esclarecer os fatos e minimizar possíveis desgastes psicológicos entre estudantes e servidores;

A Direção Geral informa ainda que as aulas não foram suspensas, e todas as atividades acadêmicas e administrativas permanecem em funcionamento. Caso surjam novas e relevantes informações, o Campus Satuba expedirá outros comunicados".