Alagoas

Moradores relatam tremor de terra na Zona da Mata de Alagoas

Tremor pode ter sido causado por explosão em mineradora. Centros Sismológicos não registraram fenômeno

18/04/18 - 10h09 - Atualizado em 18/04/18 - 10h17
Câmara Municipal de União dos Palmares

Moradores da Zona da Mata de Alagoas se assustaram com um tremor de terra sentido em alguns pontos das cidades da região no começo da noite desta terça-feira (17). De acordo com relatos, em conversas de grupos no WhatsApp, e segundo moradores com os quais o TNH1 conversou, móveis, portas e janelas chegaram a vibrar.

A reportagem conversou, por telefone, com Daiane Maurício e Wesley Oliveira, que moram em União dos Palmares, e ambos relataram ter ouvido um “estrondo” antes de sentir o tremor. 

“Fez um barulho e sentimos o tremor. Achei até que o muro da minha casa tinha caído. Eu estava conversando com minha vizinha e ficamos muito assustadas”, disse Daiane.

“Eu estava em casa quando ouvi uma espécie de ‘bum’. Aí tremeu tudo, porta e mobília. Um tempo depois, o pessoal começou a comentar que pode ter ocorrido uma explosão de uma pedreira, mas a mais perto daqui fica a cerca de 25 km. Muito longe para que a gente sentisse”, explicou Wesley.

No Whatsapp, em um grupo de União dos Palmares, um morador da cidade Branquinha também relatou ter sentido o tremor (foto abaixo).

Sem registro oficial

O TNH1 consultou o Observatório Sismológico da Universidade de Brasília e o Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, mas nenhum dos dois registrou tremor de terra em Alagoas. A assessoria de comunicação do Corpo de Bombeiros informou que não foi registrada nenhuma ocorrência desse tipo na região da Zona da Mata.

Mineradora pode ter sido causa de tremor

A reportagem consultou a pedreira Brita Forte Mineração, que fica na cidade vizinha de Murici. De acordo com o gerente da empresa, Ernande Torres, a mineradora funciona administrativamente até as 17h, mas precisava confirmar com a gerencia de lavra se houve alguma detonação após esse horário.

“De antemão posso adiantar que pode ter ocorrido uma onda de impacto, que se estende por alguma distância após a detonação, mas isso não é tremor de terra. Sobre o que ocorreu ontem, só posso responder após conversar com minha gerente, na mina”, explicou. O TNH1 ainda aguarda a confirmação da empresa.

"