Alagoas

Motoristas de Uber protestam contra atuação da SMTT de Rio Largo

16/02/17 - 11h55 - Atualizado em 16/02/17 - 12h12
Reprodução / Vídeo

Motoristas do Uber em Maceió participam nesta quinta-feira (16) de um protesto, com concentração no bairro da Forene, contra a atuação da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) de Rio Largo.

O grupo vai seguir em direção ao Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, onde uma confusão envolvendo agentes da SMTT e dois condutores foi registrada na tarde dessa quarta. Os motoristas do Uber acusam os agentes de intimidação, ameaça e até agressão física.

A atuação de taxistas de Maceió no aeroporto, que é área de Rio Largo, só é permitida quando o cliente aciona o serviço por meio de telefone ou aplicativo, e eles são proibidos de fazer ponto no local. Da mesma forma, a norma está sendo usada para o Uber, que ainda não é regulamentado nos municípios alagoanos.

Porém, de acordo com o motorista Audênio Andrade, que conversou com o TNH1, e filmou parte da ação da SMTT, ele chegava ao aeroporto, para onde foi acionado por um cliente, a tarde de ontem, quando viu a abordagem de agentes de trânsito do município de Rio Largo a um colega e considerou a atitude agressiva.

Segundo Audênio, a ação chamou logo sua atenção. “O agente da SMTT estava agredindo o motorista. Aí comecei a gravar. Avisei que estava gravando, mas quando falei isso, disseram ‘vou pegar você’. Parei de filmar e continuei dirigindo. Foi quando percebi que estavam me seguindo. Avistei o 8º Batalhão da PM e entrei pra pedir ajuda. Foi quando eles chegaram e começaram as discussões”, relatou.

O motorista contou que, na sede do batalhão, os agentes negaram a agressão ao condutor abordado pela SMTT, Ele, porém, confirma que o colega foi agredido no rosto. A suposta vítima  não foi localizada pela reportagem para dar entrevista.

O TNH1 também não conseguiu contato com a SMTT de Rio Largo. Por meio da assessoria de comunicação, a Prefeitura Municipal disse ter conhecimento do fato, mas ainda não emitiu um posicionamento oficial.

A reportagem confirmou a ida do grupo ao 8º BPM, com seu comandante, major Aloísio. Ele disse que, por volta das 16 horas o motorista e os agentes estiveram no batalhão, e foram orientados a procurar a Delegacia de Polícia Civil para prestar queixa.

“Está ocorrendo uma fiscalização no aeroporto, porque existe uma regulamentação de que o Uber é proibido. Eles [os motoristas] dizem que não estão fazendo Uber no aeroporto, mas só desembarque. Como é uma questão de trânsito, nós não entramos na situação”, declarou.

Em Maceió, a Justiça determinou que a Prefeitura se abstenha de restringir a atuação do Uber e classificou a lei que proíbe o serviço no Município como inconstitucional.