Gente Famosa

MP devolve inquérito sobre agressão envolvendo Henri Castelli e investigações são retomadas

Promotor entendeu que o inquérito precisa ser robustecido para 'melhor esclarecer os fatos'

Eberth Lins | 28/01/21 - 11h21 - Atualizado em 28/01/21 - 11h34
Ator global foi agredido durante festa na Barra de São Miguel, no Litoral Sul de Alagoas | Foto: Reprodução /Instagram

A novela acerca do caso de agressão envolvendo o ator global Henri Castelli ganhou um novo capítulo nesta semana. O inquérito, até então finalizado, foi devolvido pelo promotor de Justiça, Hermann Brito, ao delegado responsável pelo caso, Fabrício Lima.

"Ficaram faltando algumas diligências para esclarecer melhor os fatos e robustecer a denúncia. O inquérito foi finalizado muito rápido devido à pressão, então solicitei mais provas, como a planta baixa do local onde aconteceu a agressão e também os contratos da empresa responsável pelas câmeras. Precisamos entender se essas câmeras realmente não estavam instaladas no referido dia, e se há imagens", detalhou o promotor em entrevista ao TNH1.

Ele também classificou como fantasiosa a possibilidade de uma nova tipificação de crimes envolvendo a agressão. "Uma tentativa de homicídio, por exemplo, seria absurdo", disse.

De acordo com o advogado do ator, Marcelo Marcochi, que atua como assistente de acusação, a devolução acontece para o acréscimo de novas diligências. "Neste caso, embora as provas sejam suficientes, o promotor de Justiça e nós visualizamos crimes e pessoas além das já identificadas", disse, referindo-se ao inquérito inicial apresentado pela Polícia Civil de Alagoas (PC/AL), que indiciou duas pessoas por lesão corporal grave.

A agressão foi revelada pelo ator no dia 11 deste mês, por meio das redes sociais. Antes, ele disse ter sofrido um acidente na academia, segundo o advogado, para ganhar tempo e juntar provas.

"Não é porque as provas são insuficientes, longe disso! Se eu não tivesse solicitado, o promotor certamente já teria oferecido a denúncia, mas o que fomos ponderar é que existe a possibilidade de outros crimes  e outras pessoas envolvidas", argumentou o advogado.

Marcelo Marcochi ressaltou a solicitação das imagens do local no momento da agressão, pedido feito pelo ator Henri Castelli que foi respondido como "inexistente". "Antes, nós solicitamos as imagens do local no momento da agressão e o proprietário do espaço disse que as câmeras não estavam filmando. Agora, o promotor determinou que sejam feitas perícias nas câmeras. Se de fato as câmeras não filmaram, ok, mas quem vai dizer é a perícia", detalhou.

O TNH1 também conversou com o delegado Fabrício Lima, que confirmou ter recebido a requisição do Ministério Público. "É um procedimento absolutamente normal, se houver necessidade de algo mais. Neste caso, vamos ouvir novas testemunhas e acredito que em até 15 dias tenhamos finalizado essa parte, quando enviaremos novamente ao promotor", informou o delegado, acrescentando desconhecer novos crimes e pessoas envolvidas no caso.

Foto: Reprodução/ Redes Sociais

Relembre o caso 

Henri Castelli teve a mandíbula fraturada por um soco após se envolver em uma confusão durante uma festa na Barra de São Miguel, no dia 30 de dezembro. Após o episódio, o ator deu entrada na Santa Casa de Misericórdia de Maceió e, no dia seguinte, foi ouvido pela polícia. 

Ontem (27), Henri falou sobre o tratamento bucal e contou que não tem sido fácil a recuperação. O ator está no ar na reexibição da novela Sol Nascente, da TV Globo. O folhetim foi editado e ganhou uma edição especial para apresentação nesta pandemia, que tem travado as gravações de novas produções nas emissoras.