Maceió

Mudança de banco não afeta pagamento de salário de servidores de Maceió

Deborah Freire com Rádio Pajuçara FM | 12/09/19 - 10h40
Reprodução

A mudança do banco que irá fazer o processamento da folha de pagamento do Município de Maceió, após o processo de licitação vencido pelo Itaú, não vai afetar o recebimento de salários pelos servidores e pensionistas.

Boatos divulgados nas redes sociais informam que a conta do servidor no Banco do Brasil será cancelada ou que o pagamento não vai cair no mesmo dia.

Mas em entrevista ao programa Pajuçara Na Hora, da Rádio Pajuçara FM Maceió, o superintendente do Banco do Brasil em Alagoas, Cassio Daltoé, esclareceu que tais informações não são verdadeiras. Ele afirma que mesmo deixando de processar a folha de pagamento do Município, o banco pode ser o escolhido pelo servidor para continuar recebendo o salário.

Segundo Daltoé, 22 mil servidores da prefeitura recebem pelo Banco do Brasil. Com a mudança, serão abertas contas no Itaú, mas o funcionário recebe por onde quiser.

"A conta não se encerra e ninguém vai ficar sem receber. Se o servidor quer manter o recebimento pelo Banco do Brasil, faz a adesão à livre opção bancária, no aplicativo, ou na agência. Essa solicitação tem que ser feita ao banco de destino, ou seja, onde você quer receber. Mas isso só pode ser feito a partir do momento em que a conta salário esteja aberta (pelo Itaú)", detalhou.

O superintendente ainda ressaltou que a escolha do banco para receber o salário é simples e é um direito de todos os clientes. Muitos servidores, preocupados, tem buscado esclarecimento nas agências, mas ele afirma que todos serão procurados.

Pasep

Daltoé ainda falou sobre 'fake news' relacionadas ao Pasep, que é um direito pago pelo Banco do Brasil a servidores públicos, diferentemente do PIS, pago pela Caixa a funcionários do setor privado. Ele disse que ainda existem resquícios do Pasep para quem foi servidor entre 1971 a 1988, e ninguém vai perder o direito ao saque com a reforma da Previdência, como circula nas redes sociais.

Atualmente, cerca de 14 mil cotistas ainda têm direito ao saque de um total R$ 30 milhões. Familiares herdeiros de beneficiários que já tenham morrido também podem sacar. "Quem tem conta no Banco do Brasil já recebeu, mas ainda restam 14 mil pessoas. É só procurar a agência e verificar se tem saldo, no próprio terminal de autoatendimento, com o CPF e data de nascimento, ou no site bb.com.br/pasep", explica.

Para familiares, é necessário levar atestado de óbito e um comprovante de que é herdeiro do servidor falecido.

"