Maceió

Mulher que socorreu bebê abandonado em Maceió dá detalhes do resgate

TNH1 com TV Pajuçara | 05/09/19 - 13h49 - Atualizado em 05/09/19 - 14h25
Maria Maciel/TV Pajuçara

A dona Maria Cícera, mulher que ajudou no resgate do bebê que teria sido abandonado numa lixeira e levado para UPA do Trapiche durante a manhã de ontem, conversou com exclusividade com a repórter Maria Maciel, do programa Fique Alerta, da TV Pajuçara, nesta quinta-feira, 05, e deu detalhes do resgate.

A mulher, que mora na Rua da Paz, numa casa em frente ao local onde o bebê foi deixado, informou que o homem que levou o recém-nascido para a UPA é um pescador que mora numa vila na Rua Bom Jesus dos Navegantes, no mesmo bairro.

“Aqui todo mundo conhece ele, é um pescador que mora aqui perto. Ele trabalha na lagoa e todo mundo conhece ele por ‘Preá’, mas não sei o nome dele”, explicou.

Ela mostrou o local aonde a criança foi deixada, um canto de parede em cima de uma calçada, bem próximo a sarjeta. “Quando ele achou a criança, por volta das 6h, todo mundo aqui ficou nervoso. Eu corri dentro de casa, peguei uma toalha vermelha e envolvi o menino. Foi com essa toalha que ele foi levado para a UPA”, revelou.

(Crédito: Maria Maciel/TV Pajuçara)

Conselho Tutelar

O Conselho Tutelar da Região Administrativa II irá nesta sexta-feira, 06, formalizar uma denúncia na Delegacia Especial dos Crimes Contra a Criança e o Adolescente. O TNH1 conversou com Ruth de Moura, a conselheira tutelar que acompanha o caso, e ela contou que um homem teria se apresentado como a pessoa que levou a criança para a unidade de saúde.

“Soube desse homem, que seria um pescador. Até o momento o que a gente sabia é que poderia ser um catador de recicláveis. Aí vou tentar identificar esse homem hoje e vou à delegacia amanhã. Hoje eu já conversei com o chefe de serviço da delegacia e alinhei isso com ele”, explicou.

Estado de Saúde

No final da manhã de hoje, a Maternidade Escola Santa Mônica informou que houve uma evolução no estado de saúde da criança, de gravíssimo para grave, porém estável. O informe diz ainda que o bebê respira auxílio mecânico.

O texto diz ainda que a equipe médica explicou que “os exames coletados na quarta-feira (4) tiveram resultados normais. No entanto, fica mantido o uso de antibiótico, em virtude da condição clínica do bebê, da falta de informações do período gestacional (pré-natal) e das condições de nascimento ao qual foi exposto”.

O bebê segue internado na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal da Maternidade Escola Santa Mônica, onde os médicos aguardam que ele se recupere e atinga o peso de 1.800 grama para receber alta. A idade gestacional foi estimada em 28 semanas, ou seja, um bebê considerado prematuro, e que do sexo masculino, e que pesava 1,150 kg.