Meio Ambiente

Número de praias com óleo recua e litoral de Alagoas pode estar limpo até o fim do mês

Deborah Freire | 19/11/19 - 10h02 - Atualizado em 19/11/19 - 10h02
Trabalho de limpeza de praia feito por colaboradores do IMA em outubro | IMA

O número de praias com a presença de petróleo começou a cair em Alagoas, enquanto o número de locais que já apresentaram o problema e agora estão limpos tem aumentado. A previsão dos especialistas é que o Litoral pode estar limpo até o fim deste mês.

Levantamento feito pelo TNH1 com base nos dados do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) revela que desde o dia 8 deste mês o número de pontos com manchas não cresce, e desde o dia 9 passou a cair. Até ontem, eram apenas 3 pontos com o problema.

Há ainda 44 locais com vestígios de óleo, ou seja, onde os técnicos e banhistas encontram a substância, mas em pequenas quantidades. Esse índice ainda vem crescendo em novembro.

Por outro lado, o total de praias que já tiveram óleo e agora são consideradas livres do problema só aumenta. No início do mês, eram 7, e ontem chegaram a 28.

Confira:

Data

1/11

2/11

3/11

4/11

5/11

6/11

7/11

8/11

9/11

10/11

11/11

12/11

13/11

14/11

15/11

16/11

17/11

18/11

Com mancha

5

3

3

3

3

4

6

6

4

4

4

4

4

4

4

3

3

3

Com vestígio

34

37

33

30

31

36

39

39

40

40

40

41

43

48

45

44

43

44

Limpa

7

9

13

17

17

17

17

17

18

18

19

19

17

17

22

27

28

28

Para o coordenador de Gerenciamento Costeiro do Instituto do Meio Ambiente (IMA), Ricardo César, a diminuição é significativa e, se a tendência se confirmar, até o final do mês o litoral estará livre de óleo.

Ele ressalta, porém, que os especialistas que analisam o problema não têm um prognóstico para os próximos meses. "O que tem agora são fragmentos, manchas esparsas, não comprometem a balneabilidade. O Exército ainda está com um contingente nas praias; a Marinha, com fuzileiros navais, o IMA, o Ibama, mas apenas para a conclusão do trabalho. Esperamos que não chegue mais", afirma.

Atualmente, ele reforça, que as manchas concentram-se mais em Japaratinga (região do Boqueirão), em Barra de São Miguel e Feliz Deserto, onde elas ressurgem, e nas Dunas de Piaçabuçu, onde há um remanescente que foi "exumado" pela mudança dos ventos, com o Vento Nordeste.

Veja no mapa de Alagoas os pontos oleados:

E no mapa de todo o Litoral:

"