Alagoas

OAB recebe familiares de presos transferidos para Presídio de Segurança Máxima

27/01/17 - 17h51 - Atualizado em 27/01/17 - 17h56


Familiares de reeducandos, que atualmente estão lotados no Presídio de Segurança Máxima, estiveram nesta sexta-feira (27) na sede histórica da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas (OAB/AL), localizada no Centro de Maceió, onde se reuniram com representantes da Comissão de Direitos Humanos. O encontro foi solicitado pelos familiares para denunciar transtornos que estariam ocorrendo dentro da unidade com os presos que foram transferidos do Presídio Cyridião Durval.

A Comissão, representada pelo advogado Gilberto Monteiro, colheu as reivindicações apresentadas pelos denunciantes. Nos relatos, os familiares apontaram que os presos estariam sofrendo com transtornos dentro do Presídio de Segurança Máxima desde que foram transferidos do Cyridião Durval. A reunião contou também com a presença de um representante da Secretaria Estadual de Direitos Humanos.

“As denúncias são referentes a mudanças desde essa transferência. Segundo as famílias, esses detentos estariam com banho de sol, alimentação e até energia das celas reduzidas. A energia estaria sendo cortada na parte da noite. Além disso, as visitas estariam sendo realizadas de 15 em 15 dias. Eles alegam que o regime ao qual os reeducandos estão passando hoje é rígido e o anterior, no Cyridião era diferenciado. Ouvimos atentamente a cada uma das reivindicações e pudemos contar com a presença do psicólogo Edmilson Vasconcelos, que representou a Secretaria e pode dar um primeiro suporte”, avaliou o advogado membro da Comissão, Gilberto Monteiro.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB Alagoas, Ricardo Moraes, lembrou que nessa quinta-feira (26) outros familiares acionaram a Comissão também denunciando o tratamento dado a presos transferidos no Presídio Baldomero Cavalcante para o novo presídio dentro do Complexo. As informações repassadas durante as duas reuniões serão analisadas junto aos órgãos competente e em caso de confirmação providências urgentes devem ser solicitadas.

“As denúncias, inclusive, apresentam pontos semelhantes. Ontem, além de reclamações sobre visitas, alimentação e energia, os familiares dos detentos transferidos do Baldomero para esta nova unidade no Complexo relataram falta de água para beber e para higiene pessoal, além de deficiência no cuidado médico para com presos feridos. Tudo será acompanhado pela Comissão, as de ontem e as de hoje, já que é preciso confirmação de que tais situações estão ocorrendo. Em caso de confirmação, a Comissão deve acionar imediatamente os órgãos responsáveis para solucionar os problemas identificados”, expôs Ricardo Moraes.