Alagoas

Operação da PF combate suspeitos de incitar violência nas redes sociais nas eleições 2018

TNH1 com Ascom PF | 22/07/20 - 07h57 - Atualizado em 22/07/20 - 08h09
Ascom PF

A Polícia Federal em Alagoas cumpriu na manhã desta quarta-feira, 22, um mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça Federal, em Maceió, durante a execução da fase ostensiva da Operação “Levante”. A ação investiga a utilização de perfis em uma rede social para divulgar mensagens que incitavam eleitores a se rebelarem contra o resultado das eleições presidenciais ocorridas no ano de 2018. 

Segundo a Polícia Federal, as investigações tiveram início em janeiro de 2019 e contaram com a participação de policiais federais do Grupo de Repressão a Crimes Cibernéticos da Superintendência Regional da Polícia Federal em Alagoas.

"Identificou-se que, através de vários perfis de uma rede social, foram divulgadas mensagens incentivando a paralisação do Brasil e a adoção de processos violentos por parte de eleitores e entes estatais com o objetivo de alterar eventual resultado indesejado das eleições. Essas mensagens foram publicadas em perfis abertos e, por isso, tiveram alcance nacional", comunicou a PF em nota.  

De acordo com a polícia, durante a busca, foram apreendidos equipamentos de informática como computadores, notebooks e mídias digitais que serão analisados pelo setor de perícias da Polícia Federal em Alagoas.

O resultado da análise do material recolhido será juntado no inquérito policial que apura crime contra a segurança nacional previsto na Lei 7.170/73 e tramita na Superintendência Regional da Polícia Federal em Alagoas.  

As pessoas investigadas poderão responder pelos crimes de “fazer, em público, propaganda de processos violentos ou ilegais para alteração da ordem política ou social” e de “incitação à subversão da ordem política e social”, previstos nos artigos 22 e 23 da Lei 7.170/73. A pena prevista para cada crime varia de 1 a 4 anos de prisão.