Polícia

Polícia apresenta suspeitos de homicídios, assaltos e roubos de carga em Alagoas

03/02/17 - 17h21 - Atualizado em 09/02/17 - 15h31
TNH1

As forças de segurança pública de Alagoas apresentaram na tarde desta sexta-feira, 03, suspeitos de cometerem homicídios, assaltos e roubos de carga em Alagoas.

Dentre os suspeitos de homicídios, o mais perigoso foi identificado como Jonathan Morais Santos, vulgo “Bagre”, de 29 anos. Ele preso na última quinta-feira, 02, sob a acusação de ter cometido um duplo homicídio em novembro do ano passado. As vítimas, identificadas como Wellington dos Santos Omena e Laércio Lima de Oliveira, foram executadas a tiros e degoladas. No braço de um deles, o suspeito ainda utilizou um facão para escrever a palavra “caboeta”. Jonathan também é suspeito de participação em outros homicídios.

Outros suspeitos de homicídios em Maceió foram identificados como Felipe Jonathan dos Santos Mendel, vulgo “Paulista”, de 20 anos; e os irmãos Lucas Lopes Barbosa, de 20 anos, e Matheus Lopes Barbosa, de 19 anos.

Assaltos e receptação

Também na coletiva, membros de uma quadrilha que cometia assaltos no bairro Bebedouro e Tabuleiro do Martins, em Maceió, e repassava os materiais para terceiros, que comercializavam no Centro da capital, foram apresentados.

Weslley Tavares dos Santos, de 22 anos, foi um dos suspeitos de cometer os furtos. Enquanto Francisco dos Santos Neto, de 26 anos, Vagner Quirino, de 27 anos e Marcos José Balbino da Silva, de 34 anos, são acusados de receptação dos objetos. Eles foram presos nos bairros Paço, Canaã e Clima Bom.

Roubo de carga

Por fim, uma investigação da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Carga, da Polícia Civil, culminou na prisão de duas pessoas, no município de Garanhus, em Pernambuco, na madrugada da última quinta-feira, 02. Os suspeitos Evaldo Teles da Silva, de 45 anos, e Jairo Zacarias da Silva, de 52 anos, foram presos em flagrante com a carga de uma carreta roubada no dia 28 de janeiro no município de Delmiro Gouveia, em Alagoas.

De acordo com a delegada Maria Angelita, ambos foram presos por receptação da carga, mas eles são suspeitos de integrarem uma quadrilha que agia furtando cargas de veículos e redistribuindo em outros Estados. O valor estimado do material não foi divulgado.