Interior

Prefeito da Barra de São Miguel diz que retirada de barracas faz parte de acordo de ordenamento

Redação TNH1 | 12/03/20 - 09h35 - Atualizado em 12/03/20 - 09h50
Reprodução/Google Maps

O prefeito de Barra de São Miguel, José Medeiros Nicolau, o Zezeco (MDB), explicou na manhã de hoje (12), em entrevista à Rádio Pajuçara FM Maceió, que a decisão de retirar os barraqueiros da orla é da Superintendência do Patrimônio da União (SPU), que busca o ordenamento do local.

No início da manhã de hoje, dezenas de donos de barracas atearam fogo em pneus e bloquearam os dois sentidos da AL-101 Sul, protestando contra a ação de retirada dos estabelecimentos que ficam na beira da praia.

“Não houve decisão, foi feito um acordo com o processo judicial, para a desocupação das barracas até o dia 2 de março. Eles tentaram uma liminar para cancelar o acordo, mas não foi concedida. A prefeitura não faz parte do processo, que é acordo entre a União, o Ibama… A prefeitura só é comunicada das decisões”, disse o prefeito.

Zezeco também revelou que o acordo feito há dois anos aconteceu para que os proprietários das barracas se organizassem para disputar a licitação em 2020. “O acordo foi para que eles se preparassem. Inclusive foram retiradas multas que eles tinham que pagar”, afirmou.

Ainda segundo o gestor, o ordenamento acontece para que as pessoas que ocupam o solo público tenham direito a concorrer pelo espaço. “É uma forma de regulamentar, eles também vão poder concorrer nessa licitação. A prefeitura tem a preocupação de buscar soluções para minimizar os impactos, para contribuir com a situação ”, garantiu Zezeco.

Protesto em rodovia

Um protesto organizado por proprietários de barracas bloqueou os dois sentidos da AL-101 Sul, na Barra de São Miguel, no início da manhã desta quinta-feira, 12. Eles reivindicaram a ação de retirada dos estabelecimentos à beira da praia. A manifestação teve início às 6h30 e foi encerrada por volta das 8h45.

O Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) foi acionado e enviou a viatura que fica no Polo Industrial, em Marechal Deodoro. Após uma negociação, que contou com a presença de militares da 5ª Companhia Independente, uma faixa dos dois sentidos foi liberada por volta das 8h da manhã. Quarenta e cinco minutos depois, a via foi desobstruída por completo. O trânsito havia ficado congestionado na região.