Educação

Presidente da Fenep comenta retorno das aulas presenciais em escolas privadas

TNH1 com TV Pajuçara | 04/08/20 - 09h37 - Atualizado em 04/08/20 - 09h37
Reprodução/TV Pajuçara

Alagoas, mais oito estados e o Distrito Federal podem voltar às aulas presenciais nas escolas particulares. O programa Cidade Alerta Alagoas, da TV Pajuçara, entrevistou, nessa segunda-feira, 03, o presidente da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), Ademar Batista Pereira, para comentar sobre o retorno.

Ademar destacou que a volta vai ser gradativa e que entende que é possível manter os alunos numa certa distância, seguindo as medidas de higiene. "A Fenep já lançou um protocolo de retono às aulas presenciais no fim da abril. Fizemos isso olhando a questão da saúde e do projeto pedagógico das escolas, pois tem criança no grupo de risco, tem criança que a mãe vai ficar com medo de mandar para a escola, e a unidade vai ter que fazer o ensino remoto para esses estudantes", disse. 

O presidente do Fenep também afirmou que as aulas presenciais estão suspensas há mais de quatro meses, e que isso prejudica o ensino já que o período foi muito longo comparado a outras países.

"Estamos há 140 dias sem aulas presenciais nas escolas privadas, e muitos estados e municípios sem nenhum tipo de aula. Isso não aconteceu em nenhum lugar do mundo, só no Brasil que parou por tanto tempo. Em média, nos outros países se parou por 60, 70 dias, nada mais que isso", explicou Ademar.

"A gente tem trabalhado na medida que a epidemia tem dado uma folga, ou seja, diminuído a curva, está voltando todo o setor produtivo, e estamos trabalhando com prefeitos e governadores, para que, com a saúde permitindo, a gente possa retomar as aulas presenciais nas escolas, especialmente na educação infantil, fundamental e no ensino superior, na questão de laboratórios, em trabalhos mais práticos, que precisam da presença", continuou.

Veja a entrevista completa:


O TNH1 ouviu o Sindicato  das Escolas Particulares de Alagoas, entidade que reúne 70 estabelecimentos de ensino, sobre previsão de retorno. 

A presidente, Barbara Heliodora diz que o calendário seguirá a o decreto estadual que disciplina o distanciamento sociald no estado. A insituição é ligada a uma outra entidade, a Confederação Nacioanl dos Estabelecimentos de Ensino (Confen). 

"Sabemso que no último decredto do govenador manteve as escolas em distanciamento social. Dia 14 de agosto deverá sair um outro decreto, tudo está em conformadidade com o que disse o governador, que disse que a partir da segunda quinzena de agosto ou na primeria semana de setembro as escolas poderiam então voltar às aulas presenciais com os protocolos dentro das exigências das normas técnicas, e com a continuidade dos trabalhos também remotamente", disse Heliodora.