Polícia

Professor encontrado morto em Jaraguá pode ter sido vítima de latrocínio

TNH1 com TV Pajuçara | 17/09/21 - 07h40 - Atualizado em 17/09/21 - 14h59
José Acioli Filho foi encontrado morto no Jaraguá | Arquivo Pessoal

Com base nos primeiros levantamentos da perícia, realizados na casa do professor da Ufal e ex-diretor do Museu Theo Brandão, José Acioli Filho, encontrado morto dentro de casa no bairro de Jaraguá, a polícia, a princípio, trabalha com a hipótese de latrocínio, já que o carro do educador, de modelo Sandero, um televisor e um micro-ondas não foram encontrados no imóvel. A Polícia Civil também vai colher imagens de câmeras de segurança da região para tentar identificar o autor do crime.

José Acioli Filho, 59, foi localizado sem vida, com dois orifícios na nuca, o que sugere que ele foi assassinado com dois tiros. O corpo estava em um dos quartos e foi localizado por um amigo do professor, que ao desconfiar de uma mensagem no Instagram, onde dizia que o educador estaria em Arapiraca, para socorrer um amigo, se deslocou para a casa dele. O conteúdo da publicação chamou a atenção pelos diversos erros de gramática, levantando a suspeita de que alguém teria escrito o texto por ele.

A polícia confirmou que recebeu a informação do assassinato no início da noite. A movimentação de pessoas foi grande na frente da residência, situada na avenida Walter Ananias, entre policiais, peritos, amigos e alunos do educador.

Waneska Pimentel, amiga de José Acioli, esteve no local e conversou com a equipe de reportagem da TV Pajuçara. "É uma perda muito grande porque é um professor formador de vários artistas, uma das maiores referências em cenografia. Acreditamos na Delegacia de Homicídios para averiguar e para esse crime não ficar impune. Todos estamos consternados, surpresos e abalados com a morte dele", lamentou.

O vizinho André de Oliveira afirmou que os moradores tinham uma boa relação com o educador. "Era uma pessoa tão boa que até esses bancos ele colocou para as pessoas esperarem o ônibus, para os moradores sentarem para se divertir também. Ele sempre foi educado, legal, ninguém na rua tem o que falar dele".

O corpo de José Acioli foi retirado da casa por volta das 22h por profissionais do Instituto Médico Legal. Ele foi encaminhado à sede do órgão para os devidos exames e vai ser liberado para familiares para o sepultamento.