Polícia

‘Professor ofereceu R$ 10 mil para não morrer’, diz suspeito em vídeo

Dayane Laet com Blog Italo Timóteo | 15/02/19 - 11h43 - Atualizado em 15/02/19 - 11h43
Macilon foi morto a tiros | Cortesia ao TNH1 / Arquivo Pessoal

O agricultor José Pedro da Silva, conhecido como Pedrinho, de 28 anos, confessou ter participado da morte do professor Macilon Vieira Barros, em Piranhas, interior de Alagoas, na última quarta-feira (13).

Sem esboçar arrependimento, o trabalhador rural contou que ele e o irmão, identificado como Claudemir de Jesus, decidiram matar Macilon quando o viram na quadra de esportes. “Não foi nada premeditado”, afirmou.

Ainda de acordo com José Pedro, a vítima ofereceu R$ 10 mil para não morrer. “Ele garantiu que o dinheiro estava em casa e que nos entregaria, caso a gente o poupasse, mas era questão de honra matar, porque ele mexeu com gente do nosso sangue”, disse no vídeo. O homem disse que o professor participou do homicídio de um sobrinho dele, e por isso resolveu se vingar.

A entrevista foi concedida ao blog Italo Timóteo, nessa sexta-feira (15).

Acompanhe:

O caso

O professor de Química participava de uma partida de futebol no distrito Piau, em Piranhas, quando os criminosos chegaram com os rostos cobertos, de moto, renderam a vítima e a arrastaram para fora do ginásio de esportes, onde foi morta com tiros de calibre 12.

O irmão do agricultor, Claudemir, permanece foragido.