Polícia

Promotoria de Justiça pede prisão de suspeito de matar grávida a facadas

TNH1 | 21/10/20 - 09h35 - Atualizado em 21/10/20 - 10h32

A Promotoria de Justiça da Comarca de Viçosa pediu a prisão temporária de Daniel Paulo Santanna dos Santos, suspeito de matar a facadas a companheira Ana Paula de Oliveira Santos, 27 anos, grávida de três meses. 

"Preparamos um pedido de prisão temporária que agora está nas mãos da juíza, que está decidindo sobre o deferimento ou não do pedido. Em breve, deveremos ter o decreto de prisão temporária já nos autos e quando o suspeito for preso, seguramente teremos como avaliar melhor e saber o motivo da prática do crime", afirmou o promotor Adriano Jorge Correia de Barros Lima.

Ontem, um ofício foi enviado à Promotoria pela Associação AME que detalhou o caso e solicitou que o mandado de prisão fosse expedido pela Justiça com urgência por considerar Daniel Paulo um perigo para a sociedade e para a família da vítima. 

De acordo com a AME, o casal tinha uma relacionamento abusivo que terminou com a morte brutal de Ana Paula. "Após as primeiras ameaças o agressor desferiu a primeira facada no pescoço da Vítima, Ana Paula, que veio a óbito juntamente o bebê que estava aguardando o nascimento com tanta expectativa e amor. A outra filha de 15 (quinze) anos, que fora também ameaçada, encontra-se escondida com receio de algo lhe acontecer, uma vez que o Agressor se evadiu do local e está em local incerto", consta no documento.

A associação também destacou que a vítima já havia sido violentada em outras ocasiões, tendo dado entrada na delegacia e posteriormente se arrependido. Além disso, a família afirmou que o agressor era portador de arma de fogo e que a mulher já assumiu o porte de arma para que ele não fosse preso.

O delegado Guilherme Sillero, titular da Delegacia de Viçosa, investiga o caso e conduz as buscas pelo suspeito. O TNH1 tentou contato com ele nesta manhã, mas até a publicação da matéria não obteve êxito.

Protesto

Familiares e amigos de Ana Paula fizeram uma manifestação nessa terça em Mar Vermelho, com caminhada pelas ruas da cidade. Com cartazes e vestido de branco, o grupo pediu justiça.

O feminicídio aconteceu na tarde dessa segunda-feira, 19, por volta das 15h, no Sítio Ladeira Grande, zona rural de Mar Vermelho, a 109 quilômetros de Maceió.