Tecnologia

Saiba que modelo de celular vai parar de funcionar nesta terça-feira (4)

CNN Brasil | 04/01/22 - 09h49 - Atualizado em 04/01/22 - 10h03
Arte/Techtudo

Em breve, você não poderá mais usar aquele velho telefone BlackBerry que fica no fundo da sua gaveta em algum lugar.

A partir da próxima terça-feira (4), a empresa irá interromper o suporte para seus dispositivos clássicos com BlackBerry 10, 7.1 OS e anteriores. Isso significa que celulares BlackBerry, mesmo com wi-fi ou rede de celular, não poderão fazer chamadas, mandar mensagens de texto, usar dados, mandar SMS nem mesmo fazer chamadas para números de emergência. BlackBerrys rodando Android continuam funcionando normalmente.

Enquanto a maioria dos usuários móveis deixou o BlackBerry — a última versão de seu sistema operacional foi lançada em 2013 –, a mudança para descontinuar o suporte para seus telefones representa o fim do que antes era considerada uma tecnologia de ponta.

O anúncio foi feito pela empresa em setembro de 2020. Na ocasião, ela justificou que a decisão faz parte de esforços para uma concentração maior de software e serviços de segurança para empresas e governos em todo o mundo sob o nome BlackBerry Limited.

Desde 2016 a BlackBerry tem ficado quase sempre fora do negócio de telefonia, mas ao longo dos anos continuou a licenciar sua marca para fabricantes de telefones, incluindo TCL e mais recentemente OnwardMobility, uma startup de segurança baseada em Austin, Texas, para um dispositivo 5G Blackberry rodando em software Android.

Os dispositivos Android do BlackBerry não serão afetados pelo fim do serviço.

Os telefones celulares da velha escola da BlackBerry com teclado físico do final dos anos 1990 e início dos anos 2000 já foram tão populares que as pessoas os apelidaram de “CrackBerries”. O teclado atraiu profissionais que desejavam a flexibilidade de trabalhar fora do escritório com algumas das ferramentas que usavam em um computador desktop.

Os dispositivos se tornaram um símbolo de status e um acessório para as pessoas em Wall Street, celebridades como Kim Kardashian e até mesmo o presidente Barack Obama, em parte graças à sua grande reputação de segurança. Em seu pico em 2012, o BlackBerry tinha mais de 80 milhões de usuários ativos.

A empresa começou em 1996 como Research In Motion (RIM) com o que chamou de pagers bidirecionais. Seu primeiro gadget, o “Inter @ ctive Pager”, permitia que os clientes respondessem às páginas com um teclado físico, uma espécie de híbrido de mensagem de texto/e-mail. Três anos depois, a RIM introduziu o nome BlackBerry com o BlackBerry 850.

Eventualmente, os telefones BlackBerry ganharam suporte para e-mail, aplicativos, navegação na web e BBM, uma plataforma de mensagem de texto criptografada que antecedeu o WhatsApp e sobreviveu muito depois que o BlackBerry foi superado por seus rivais.

Mas a revolução da tela sensível ao toque da Apple com o iPhone em 2007 fez com que as ofertas do BlackBerry parecessem insuficientes. Tentou telas sensíveis ao toque e modelos de teclado deslizante, com pouco sucesso. Ela desenvolveu alguns telefones sem teclado físico, mas sem o principal diferencial do BlackBerry: seu teclado tátil.

A BlackBerry acabou desistindo de seu próprio software, adotando o Android e colocando em camadas seu software de segurança. Ela obteve algum sucesso em software de segurança empresarial e software automotivo.

Embora a TCL tenha parado de fabricar aparelhos com o nome BlackBerry em 2020, alguns fãs estão aguardando a chegada do aparelho BlackBerry 5G da OnwardMobility, que originalmente deveria ser lançado em 2021. Apesar do atraso, seu site ainda apresenta um banner que diz “chegando em 2021.”