Brasil

Sem salários, funcionários da Avianca entram em greve nesta sexta (17)

Greve afeta voos em Congonhas (SP) e Santos Domunt (RJ)

IG | 17/05/19 - 06h29 - Atualizado em 17/05/19 - 07h12
Arquivo

Pilotos e comissários de bordo da Avianca Brasil entraram em greve nesta sexta-feira (17). A decisão pela paralisação foi tomada na última segunda-feira (13), em uma assembleia realizada entre os funcionários, e tem como principais motivos o atraso no pagamento de salários e benefícios, além do "clima de incerteza" vivido atualmente pela empresa.

De acordo com o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), que divulgou o comunicado oficial sobre a greve na Avianca , a paralisação teve início às 6h e terá "prazo indeterminado", ou seja, acontecerão "até que as reivindicações sejam atendidas."  

Segundo o SNA, apenas os aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro, serão afetados pela paralisação. "Os tripulantes da Avianca deliberaram por entrar em greve devido ao atraso nos pagamentos de salários e outras verbas e o consequente clima de incerteza gerado para os pilotos e comissários, situação que pode afetar a segurança de voo", diz a nota. 

O sindicato também pontua que, além da regularização dos salários dos tripulantes da companhia aérea , são esperados "o pagamento de diárias, vale alimentação, férias atrasadas e depósitos de FGTS."

Demissões e recuperação judicial 

Como motivação para a greve, os funcionários citam, ainda, as demissões em massa ocorridas nesta segunda-feira (13) . A empresa, que está em processo de recuperação judicial desde dezembro do ano passado, também teve, além do quadro de funcionários, sua frota reduzida: das 50 aeronaves que possuia em 2018, restam apenas cinco. 

Mais cedo, a concorrente  Azul propôs comprar, por US$ 145 milhões, uma parcela das operações da Avianca Brasil. Há também a previsão de que a companhia aérea seja leiloada em sete fatias - apesar disso, o leilão foi desmarcado e não há, ainda, data para acontecer novamente.