Polícia

Suspeito de tráfico é preso com documento falso e uniformes da PM

Redação com Ascom PC | 27/03/20 - 09h50 - Atualizado em 27/03/20 - 10h21
Foto: Cortesia PC

Um homem de 47 anos foi preso em flagrante, suspeito de tráfico de drogas, uso de documento falso e posse ilegal de arma, nessa quinta-feira (26), em Arapiraca.

Com ele, a polícia apreendeu maconha, crack, cocaína e uma arma artesanal, além de uniformes da Polícia Militar.

Segundo a polícia, as investigações tiveram início há cerca de 10 dias, quando os agentes do Núcleo de Inteligência (NI) da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic) receberam informações de que o suspeito, que reside em Atalaia, no interior de Alagoas, estaria com uma casa na cidade de Arapiraca, que servia como depósito para materiais ilícitos e que ele faria uso de documento falso.

O delegado Gustavo Henrique, coordenador da operação, disse que foi solicitada ao Poder Judiciário a expedição de mandados de busca e apreensão nos imóveis de Atalaia e Arapiraca. Ao serem cumpridos os mandados de busca e apreensão, foram apreendidos na casa do investigado em Atalaia, um RG falsificado.

“Já no imóvel de Arapiraca, apreendemos, aproximadamente, um quilo de drogas entre maconha crack e cocaína, uma arma artesanal, uma munição de calibre ponto 44, dois estojos deflagrados do mesmo calibre, além de quatros peças de uniformes da Polícia Militar de Alagoas (PMAL), sendo duas calças e duas gandolas”, detalhou o delegado.

Uniformes da PM e drogas apreendidos com o suspeito. Foto: Ascom PC

O coordenador da Deic disse ainda que em buscas feitas nos sistemas informatizados, à disposição da Segurança Pública, constatou-se que possivelmente o autuado possui outros documentos falsificados, o que será objeto de aprofundamento da investigação que terá sequência.

O suspeito e os materiais apreendidos foram levados para a sede da Deic, em Maceió, onde o infrator foi autuado em flagrante pelo delegado José Carlos e encaminhado ao sistema prisional do Estado, onde permanecerá à disposição da Justiça. O suspeito também já tem antecedentes criminais por apropriação indébita e injúria.