Futebol

Técnico Mozart confirma renovação até final de 2021 e mira acesso com CSA

TNH1 com TV Pajuçara | 29/12/20 - 09h49 - Atualizado em 29/12/20 - 09h49
Augusto Oliveira / Ascom CSA

Em entrevista ao programa Cidade Alerta Alagoas, da TV Pajuçara, nessa segunda-feira (28), o técnico Mozart Santos confirmou a renovação de contrato com o CSA até dezembro de 2021 e mostrou confiança na briga pelo acesso à Série A do Brasileirão. 

"Aproveitando o gancho, renovei meu contrato até 31 de dezembro do ano que vem. Nós construímos, juntamente com os jogadores e profissionais do clube, uma relação importante. Tem esse vínculo que eu não poderia de forma alguma virar as costas para ele. Temos um propósito juntos, estamos próximos desse objetivo que construímos juntos", afirmou. 

Mozart comandou o CSA em 21 jogos nesta Série B do Campeonato Brasileiro, venceu 12, empatou quatro e perdeu cinco, com 33 gols marcados e 15 sofridos. O treinador assumiu o Azulão na 19ª colocação e hoje é o quinto colocado da Segundona, com 48 pontos. A boa campanha despertou interesse do Coritiba, ex-clube do técnico, que fez duas propostas ao treinador. 

"É óbvio que teve essas duas propostas do Coritiba. A segunda (proposta) do Coritiba acabei escutando principalmente por um problema familiar que estou vivendo. Comentei da minha sogra e do meu cunhado que estão internados pela covid em Curitiba, minha esposa está passando por uma situação difícil. Eu tive que tomar a decisão, principalmente profissional, e com certeza foi a melhor decisão permanecer no CSA, seja para o restante da Série B e pensando no ano que vem. Tenho certeza que foi a melhor decisão que tomei", respondeu. 

Faltando apenas sete rodadas para o fim da Série B, Mozart falou que a concentração do clube está no Sampaio Corrêa, que é o oitavo colocado, com 45 pontos, e é adversário direto na briga pelo G-4. 

"Nós estamos muito confiantes. Construímos uma forma de jogar muito sólida. Costumo falar nas minhas entrevistas que a gente vai sempre jogo a jogo, e vai ser dessa forma até o fim. Temos um jogo dia 2 que para nós é um confronto direto e é uma final pensando em acesso. A nossa preparação do dia 26 até o dia 2 será única e exclusivamente pensando no Sampaio. Nossas energias e nosso foco estão todos direcionados ao Sampaio". 

"Pós-Sampaio, a gente pensa nos outros jogos, mas a nossa confiança, pode ter certeza, está muito grande por tudo que construímos até agora. Cheguei em uma situação extremamente difícil. Éramos 19º e hoje somos o quinto. Mas foi fruto de muita dedicação da nossa comissão, do clube e principalmente dos jogadores. Nosso objetivo está próximo, mas é extremamente difícil. Vamos passo a passo e o próximo passo é o Sampaio". 

Veja outros trechos da entrevista. 

Chance de acesso e ligação com Alagoas

"Temos chances. Nossa chance é muito concreta. Tenho muito orgulho de ser treinador dessa instituição, desse clube que tem uma torcida fantástica. Fugindo um pouquinho da resposta, meu avô é de Palmeira dos Índios, tenho uma ligação com Alagoas. Sou de Curitiba, mas meu avô paterno é daqui. Nossa chance é concreta. Vamos brigar até o último jogo pelo acesso. Se Deus quiser, que venha um pouquinho antes para a gente não precisar sofrer tanto (risos). Mas pode ter certeza que vamos lutar com todas as nossas forças pelo acesso".

Renovação de contrato 

"Renovei o meu contrato até 31 de dezembro de 2021. Era o meu desejo desde o início, estou feliz com a renovação". 

Escolha por trabalhar em Maceió

"Com relação à escolha de ter vindo para cá, eu queria uma oportunidade para poder apresentar meu trabalho. Fui treinador do sub-20 do Coritiba durante quatro anos e fiquei dois anos como auxiliar do clube. Então, eu precisava dessa oportunidade para poder executar meu trabalho. É óbvio que ninguém me conhecia aqui. O Rodrigo Pastana foi convidado para vir ao CSA e me fez o convite. Sou eternamente grato a ele e ao presidente (Rafael Tenório) que acreditou no Rodrigo. Estou muito satisfeito com a decisão que tomei". 

Bustamante 

"São perguntas de saia justa, né (risos), mas não fujo das perguntas, não. São escolhas táticas que o treinador tem que fazer. Cheguei aqui com o elenco com sete ou oito pontas, entre ponta esquerda e ponta direita. Por escolha realmente minha, convicção, infelizmente acabei preterindo o Bustamante para colocar outros jogadores. Bustamante fez um jogo comigo em Pelotas, contra o Brasil. É um cara extremamente dedicado, que treina muito bem, então, pode acontecer em algum momento de surgir oportunidade para ele. Cheguei em um momento difícil, porém, os jogadores deram uma resposta muito boa. Nós fomos ganhando os jogos e aquela velha frase de time que está ganhando não mexe. (Você é favorável dessa frase?) Não, em alguns momentos quando vejo necessidade, se mexe, mas a performance dos jogadores está num nível muito bom. Fica até difícil para eu mexer muito na equipe".