Política

"Tropa de choque" de Cunha impede avanço de sessão da CCJ

13/07/16 - 13h01 - Atualizado em 13/07/16 - 13h04

Já duram duas horas as manobras dos aliados do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para impedir que a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara vote seu recurso contra o processo de cassação aprovado no Conselho de Ética. A avaliação no colegiado é que se o recurso for votado nesta quarta-feira, 13, Cunha perderá.

Entre 10h30 e 12h30 desta quarta, os aliados do peemedebista fizeram uso de uma série de recursos regimentais para atrasar os trabalhos. Foi pedida leitura da ata da sessão passada, discussão da ata e foi votado um requerimento de votação nominal do pedido de retirada do tema da pauta. O requerimento foi derrotado por 36 votos contra, 16 a favor e uma abstenção. 

Pouco depois das 12h30 está sendo votado o requerimento em si de retirada de pauta, mas os aliados do deputado afastado pediram verificação dos votos. 

A solicitação de retirada de pauta veio do deputado Hugo Motta (PMDB-PB), sob a alegação de que o relator Ronaldo Fonseca (PROS-DF) precisa ter mais tempo para analisar os votos em separado e reconsiderar sua posição sobre os pontos alegados no recurso de Cunha.

O presidente da CCJ, Osmar Serraglio (PMDB-PR), vem cedendo às pressões da "tropa de choque" de Cunha. Ele reabriu a fase de inscrição para discursos, foi tolerante com o tempo de fala dos parlamentares no plenário e ele mesmo pediu ofício de votação nominal do primeiro requerimento apreciado nesta manhã.