Futebol

Turno único e mata-mata: FAF e clubes definem regulamento do Alagoano 2018

17/11/17 - 18h13 - Atualizado em 17/11/17 - 19h56
Paulo Victor Malta/TNH1

A Federação Alagoana de Futebol (FAF) realizou na tarde desta sexta-feira (17) a Reunião do Conselho Arbitral do Campeonato Alagoano da 1ª Divisão 2018. O evento aconteceu no auditório de um hotel, localizado na orla de Pajuçara, em Maceió. No encontro, os clubes aprovaram o regulamento da competição e o formato. O Alagoano 2018 será disputado em turno único na primeira fase e mata-mata na semifinal e final. Serão 13 datas disponíveis para o Estadual.

O Campeonato Alagoano 2018 está previsto para começar no dia 21 de janeiro e terminar no dia 8 de abril. O prazo curto se deve ao fato de que 2018 é ano de Copa do Mundo e, por isso, o Campeonato Brasileiro da Série B se inicia dia 14 de abril.

As decisões registradas em ata nesta tarde serão acrescentadas ao texto final do regulamento. A previsão é que o documento seja publicado no dia 22 de novembro, a 60 dias do início da competição.  

Tabela

ASA, CSA, CRB, CEO, CSE, Coruripe, Dimensão Saúde, Murici e Santa Rita jogarão entre si em turno único na primeira fase. Os quatro melhores colocados avançam para o mata-mata.

Com esse formato, há apenas um clássico entre CRB e CSA confirmado para o Estadual, e o mandante será o Galo. A decisão aconteceu em sorteio na reunião. Ficou definido que o mando será dividido em 70% do estádio para o mandante e 30% para a torcida visitante. Em comum acordo, os clubes e a FAF decidiram que a renda desse jogo será dividida em 50% para cada clube. O diretor de futebol do CRB, Alarcon Pacheco, e o gerente de futebol do CSA, Marcelo de Jesus, representaram os clubes. 

Por ser o mandante no clássico, o CRB vai jogar contra o ASA em Arapiraca. E o CSA receberá o Alvinegro no Trapichão na primeira fase.

Na semifinal, o primeiro colocado da fase inicial enfrenta o quarto, enquanto o segundo pega o terceiro. Os times de melhor campanha na primeira fase mandarão o segundo jogo em casa.

Em caso de empate em pontos ganhos na semifinal, o critério de desempate segue a ordem de melhor saldo de gols nas duas partidas. Se a igualdade for mantida, se classifica o time de melhor campanha na primeira fase.

Na final, o mandante do jogo de volta será o time que tiver a melhor campanha somadas todas as fases anteriores. Em caso de empate em pontos ganhos, o melhor saldo de gols nas duas partidas é o primeiro critério para desempatar. Se o empate persistir, o campeão será decidido nos pênaltis.

Rebaixados

Os clubes classificados em 8° e 9° na classificação final do campeonato serão rebaixados para a Segunda Divisão do Alagoano 2019.

Assim como em 2017, apenas o time campeão da Segundona Estadual 2018 conquistará o acesso para a elite do futebol alagoano 2019, que contará com oito clubes.

Vagas

O campeão alagoano conquistará vaga na Copa do Nordeste e Copa do Brasil 2019. O vice-campeão fica com a vaga na Copa do Brasil 2019.

Terceiro lugar

Os times eliminados na semifinal disputarão o terceiro lugar, que dá uma vaga na Copa do Brasil 2019. O time de melhor campanha nas fases anteriores vai ser o mandante no segundo jogo. Em caso de empate nos pontos ganhos na disputa do terceiro lugar, os critérios são os mesmos definidos para a final do campeonato.

Série D

As duas vagas de Alagoas na Quarta Divisão Nacional 2019 serão do campeão e do vice. Caso esses clubes já estejam classificados para as competições nacionais, as vagas ficarão com os times seguindo a classificação final do Campeonato Alagoano.

Atletas

Como a Federação havia antecipado, prevaleceu a proposta do número máximo de 28 atletas inscritos por clube, mais cinco jogadores das categorias de base, totalizando 33 atletas. 

Limite de técnicos

Cada clube poderá trocar de técnico apenas uma vez durante o campeonato. O limite de inscrição é de técnicos no Boletim Informativo Diário da CBF. A medida é para reforçar o planejamento das equipes e valorizar a profissão. Os clubes só poderão exceder esse número de trocas em caso de "Morte ou invalidez" do técnico, "Enfermidade grave comprovada" ou "Caso fortuito ou força maior". 

Questionada se a saída voluntária de um treinador seria levada em consideração, a FAF afirmou que os clubes não seriam prejudicados neste caso.  

Estádios

Felipe Feijó ressaltou que uma diretriz técnica será formada para inspecionar as condições de campo, vestiários e cabine de imprensa dos estádios. A comissão será formada por membros da FAF, imprensa, clubes, sindicato dos jogadores e Tribunal de Justiça Desportiva. 

O dirigente alertou os clubes para um velho problema: laudos de segurança. Segundo ele, os estádios Edson Matias (Olho D"Água das Flores, Gerson Amaral (Coruripe), Olival Elias (Boca da Mata), Coaracy da Mata Fonseca (Arapiraca), José Gomes da Costa (Murici) e Juca Sampaio (Palmeira dos Índios) estão com algum laudo vencido e estarão com outros a serem vencidos em datas durante o campeonato.  

Clássicos

A intenção da FAF é que CSA e CRB possam jogar com as presenças das duas torcidas. Porém, diante dos acontecimentos deste ano, em que clássicos aconteceram com torcida única e até sem torcida, o TJD sugeriu que o regulamento retire a obrigatoriedade da carga mínima de 10% de ingressos para a torcida visitante, em caso de determinação judicial para possíveis jogos com torcida única.

A recomendação é justamente para esclarecer o regulamento e evitar que os clubes acionem o TJD em situações como essa, o que também evitaria um embate nas esferas da justiça comum e desportiva.