Saúde

Vacinação tem fila com distanciamento entre as pessoas e drive thru

Folhapress | 23/03/20 - 15h41 - Atualizado em 23/03/20 - 15h57
Folhapres

O início da campanha de vacinação contra a gripe na cidade de São Paulo foi marcado por filas com espaçamento entre as pessoas e drive thru (atendimento no carro).
Na UBS Professor Milton Santos, no Planalto Paulista (zona sul), a fila dobrava o quarteirão. Entretanto, todas as pessoas que aguardavam pelo atendimento eram mantidas a uma distância de um metro umas das outras.

Mesmo com bastante gente, a espera foi curta. "Fui atendida em dez minutos. A organização está maravilhosa. Eu não esperava sair daqui tão rápido", disse a costureira Judite de Lima, 70 anos, que recebeu a vacina por volta de 11h.

A unidade do Planalto Paulista também ofereceu a vacinação pelo sistema conhecido como drive thru, ou seja, sem que a pessoa saia do carro. A fila também era grande, chegando à avenida Jabaquara. Porém, os munícipes disseram ter esperado cerca de 15 minutos até conseguirem ser vacinados.

Também na zona sul, a vacinação na UBS Dr. Massaki Udihara, no Campo Belo, foi transferida para a EMEF (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Chiquinha Rodrigues. Por lá, a fila também era grande, mas com atendimento rápido. A aposentada Helena Dias, 71anos, afirmou que levou aproximadamente 25 minutos até receber a vacina.

A preocupação com o coronavírus fez com que o aposentado Raimundo Gomes do Nascimento, 66 anos, comparecesse ao primeiro dia de vacinação na UBS Carlos Gentili de Melo em Cidade Tiradentes, na zona leste. "Tem que evitar esse vírus. Ficar dentro de casa e se prevenir", diz.

Para se vacinar no posto de saúde, a fila é feita no lado externo e com um braço de distância entre os pacientes. "O atendimento é muito bom", disse o aposentado Marcolino Pedroso, 68 anos. Ele conta que levou cerca de 10 minutos para sair vacinado.

Além da distância, os pacientes da UBS Castro Alves, também na zona leste, relatam que apenas uma pessoa por vez entra na sala de vacinação. Segundo a aposentada Aparecida Esau, 63 anos, o atendimento é rápido. Ela disse que veio no primeiro dia para se precaver em caso de falta de doses. "A saúde é o mais importante abaixo de Deus", afirma.

Sandra Inácio, 54 anos, acompanhou a mãe, a aposentada Maria Inácio, 80, durante a vacinação. Sandra chama atenção para a boa organização do posto de saúde. Segundo ela, os funcionários perguntam se quem está na fila tem algum sintoma. Em caso positivo, a pessoa recebe uma máscara.