Saúde

Variante Delta: leitos de UTI serão mantidos ativos em AL por precaução

Agência Alagoas | 13/08/21 - 09h21 - Atualizado em 13/08/21 - 10h56
Marcio Ferreia/Agência Alagoas

O governador Renan Filho afirmou, nessa quinta-feira (12), que vai manter o número de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) destinadas exclusivamente ao tratamento dos casos graves da Covid-19 em Alagoas. A decisão ocorre após a confirmação de dois casos de infecção pela variante Delta no estado.

“A variante Delta é a mais contagiosa no momento. Precisamos manter o uso de máscara, a higienização pessoal e o distanciamento social dentro das possibilidades. Eu vou manter o número de UTIs ainda por um tempo”, justificou Renan Filho, que teme a ocorrência de uma terceira onda, mas não na intensidade das anteriores. “É fundamental que mantenhamos os cuidados”, apelou.

Os dois casos de Covid-19 com a variante Delta do coronavírus foram registrados em Maceió e Palmeira dos Índios, e revelados na última segunda-feira (9) pelo secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres. Dos 400 leitos de UTI destinados exclusivamente para o tratamento dos casos graves da Covid-19 em Alagoas, 112 encontram-se ocupados nesta quinta-feira (12) em Alagoas, o que representa uma taxa de ocupação de 28%.

Renan Filho também falou sobre os 500 dias de enfrentamento à Covid-19 em Alagoas. Ele destacou a construção e entrega de cinco grandes hospitais que, somados à contratualização junto às redes privada e filantrópica, possibilitaram a criação de 1.488 leitos exclusivos para o tratamento da doença no Estado.

“Se tivéssemos tido a média de mortes do país, teriam morrido aqui 3.500 pessoas a mais. Quem seriam essas 3.500 pessoas a mais? Quantos de nós não estariam aqui, nesse momento, se Alagoas tivesse tido a média das mortes nacional?”, ponderou o governador, durante entrevista coletiva em Cajueiro, onde participou das atividades do programa Criança Alagoana – CRIA.