Polícia

Vídeo: Corregedoria vai investigar PMs que agrediram mulher durante abordagem

TNH1 | 21/01/19 - 16h09 - Atualizado em 21/01/19 - 17h29
Imagens registraram agressão | Reprodução

Imagens do circuito interno de câmeras de segurança de um condomínio no bairro São Jorge, em Maceió, mostram uma mulher sendo agredidas com tapas no rosto por um PM do Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp), durante uma abordagem. O fato aconteceu no dia 1º deste mês. A Corregedoria da Polícia Militar já instaurou procedimento e vai investigar o caso.

A mulher, que não teve a identidade divulgada, foi denunciada por vizinhos devido ao som alto. Nas imagens, é possível acompanhar a chegada dos policiais e o momento da agressão. Em seguida, a mulher é algemada.

Assista:

Edição: Wando Cajueiro

O TNH1 teve acesso ao Boletim de Ocorrência registrado pela vítima no dia 16 de janeiro, onde ela narra que os policiais chegaram ao local e disseram que iriam revistar a todos que estavam em sua casa, durante as comemorações de Réveillon.

Ainda segundo a denunciante, o policial desferiu o primeiro tapa e obrigou que ela ficasse com as pernas abertas. Em seguida, uma policial se aproxima e, diante do impasse, a vítima é algemada e levada até a viatura, onde, ainda de acordo com o registrado em B.O., ela foi espancada e teve os olhos atingidos por spray de pimenta.

“O tempo todo era chamada de vagabunda e ao chegar na Central de Flagrantes, ela foi retirada da viatura pela policial, que puxava seus cabelos”, diz ainda o documento.

Ainda segundo o relato da mulher, ela também teria sido obrigada a gravar vídeos direcionados à guarnição pedindo desculpas, mesmo sem saber o motivo. Ela contou ainda que, devido às condições a que foi exposta e à reação ao spray, ela teria urinado na viatura, o que teria servido de piada para os policiais. Na Central de Flagrantes, segundo ela, os polciais teriam continuado com os xingamentos.

Após assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrências pelo som alto, ela foi liberada.

O caso está sendo investigado pelo delegado Nivaldo Aleixo. Ele já ouviu a mulher agredida, um outro homem que foi algemado e uma das quatro testemunhas da agressão. Segundo ele, as imagens e o que foi apurado até agora caracterizam abuso. A reportagem tentou contato com Aleixo, mas as ligações não foram atendidas.

Em nota, a assessoria de comunicação da PMAL informou que “na situação a mulher filmada sendo abordada foi conduzida em uma viatura do Batalhão de Radiopatrulha para a Central de Flagrantes, no bairro do farol, para a realização de um Termo Circunstanciado de Ocorrência, em seu desfavor, pelos crimes de Injúria, Desobedecer a ordem legal de funcionário público e Ameaça. (artigos 140, 330 e 147 do código Penal Brasileiro), todos cometidos contra a guarnição durante a abordagem.

Em relação aos possíveis excessos cometidos pelos policiais na ocorrência, a Corregedoria da Polícia Militar de Alagoas já abriu procedimento administrativo para apurar as ações dos militares envolvidos na situação”.