Meio Ambiente

Acidente durante transferência de óleo entre navios pode ter gerado manchas no litoral do Nordeste

Com informações da TV Globo | 09/10/19 - 10h28 - Atualizado em 09/10/19 - 10h38
Manchas em praia de Coruripe

Relatório da Petrobras enviado ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) indica que o petróleo que tem chegado ao litoral do Nordeste desde o início de setembro pode ter caído no mar em um acidente, durante a transferência de óleo de um navio para outro.

O estudo indica ainda que a substância tem as mesmas características do petróleo fornecido na Venezuela. Um laboratório analisou 23 amostras colhidas nas praias da região e identificou que os resíduos são uma mistura de óleos venezuelanos.

Foi descartada a hispótese de que o produto tenha brotado de uma fissura no fundo do mar ou que seja fruto da limpeza do tanque de um navio. Mas ainda é investigado a que país pertence o navio responsável pelo acidente e o que provocou o derramamento.

Quantidade passa de 500 barris de petróleo

A Marinha do Brasil já identificou 140 navios-tanque que passaram em frente ao litoral nordestino e procurou os responsáveis pelas embarcações com carga compatível. O resultado desse contato não foi divulgado.

De acordo com o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, a quantidade de petróleo derramada passa de 500 barris. Ele ainda levantou outras duas hipóteses para a causa do problema: afundamento de um navio ou despejo criminoso. O presidente Jair Bolsonaro também aponta essa possibilidade, mas não acusa um país em específico.

A Marinha e o Ibama atuam em conjunto para fazer a limpeza e vistoria das praias. Já foram recolhidas 133 toneladas de óleo desde o início do surgimento das manchas. 138 localidades em 62 municípios e 9 estados foram afetadas.