Polícia

Agressor que arrancou olhos de cão em Major Izidoro é procurado pela polícia

Redação TNH1 | 06/11/20 - 11h10 - Atualizado em 06/11/20 - 11h26
Foto: Reprodução

A Polícia Civil já está trabalhando para identificar o responsável pela cruel agressão a um cão, no município Major Izidoro, no Sertão de Alagoas.

O animal teve os dois olhos arrancados e foi abandonado em um bairro da periferia da cidade. 

De acordo com a delegada Daniella Alves, titular da delegacia de Major Izidoro, a polícia já está investigando o caso.

"Estamos em diligências, mas não posso compartilhar detalhes para não atrapalhar. Após a conclusão do inquérito, vamos passar todas as informações. Não queremos exposição de testemunhas, mas há pessoas que vão ser ouvidas", detalhou a delegada ao TNH1.

Veja vídeo:

A delegada também disse à reportagem que as primeiras informações apontam que o animal vivia em situação de rua e que era visto geralmente pela região onde foi encontrado, no Loteamento Terra do Leite.

O caso já foi denunciado à Comissão do Bem-Estar Animal da Ordem dos Advogados do Brasil de Alagoas (OAB/AL), que deverá solicitar apoio à polícia e ao Ministério Público na apuração.

Nova lei endurece pena contra maus-tratos

Com episódios crescentes de maus-tratos a animais, o presidente Jair Bolsonaro sancionou em setembro último a Lei 1.095/2019, que aumenta a punição para quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais. A legislação abrange animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, incluindo, aí, cães e gatos, que acabam sendo os animais domésticos mais comuns e as principais vítimas desse tipo de crime.

Agora, como define o texto, a prática de abuso e maus tratos a animais será punida com pena de reclusão de dois a cinco anos, além de multa e a proibição de guarda. Atualmente, o crime de maus-tratos a animais consta no artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais 9.605/98 e a pena previa de três meses a um ano de reclusão, além de multa. A lei sancionada nesta terça-feira (29) também prevê punição a estabelecimentos comerciais e rurais que facilitarem o crime contra animais.

OAB recebe média de 25 denúncias por dia de maus-tratos a animais

A média de denúncias diárias de casos de maus-tratos a animais em Alagoas mais que duplicou em 2020, em comparação com o ano passado. A informação é da Comissão de Bem-Estar Animal da Ordem dos Advogados do Brasil de Alagoas (OAB/AL). De acordo com Rosana Jambo, presidente da Comissão, o aumento de crimes de maus-tratos está sendo registrado desde o início da pandemia.