Especiais

Água ácida ou alcalina: qual é a melhor?

10/02/17 - 10h47 - Atualizado em 16/02/17 - 17h53

Um dos alimentos liberados por médicos e nutricionistas, sem restrições, é a água. Como não tem contraindicação, temos a tendência de achar que todas são iguais. Porém, ao contrário do que o senso comum diz, isso não é verdade. A água que consumimos pode ser ácida ou alcalina e trazer malefícios ou benefícios para o organismo.

Um dos fatores de diferenciação é o índice do pH. O potencial de hidrogênio iônico é uma escala que mede o nível de acidez ou alcalinidade da água, que varia de 0 a 14, sendo o 0 como acidez máxima, o 7 como valor neutro e o 14 como alcalinidade máxima. A recomendação da American Public Health Association é que o pH da água que ingerimos varie de 7 a 10.

De acordo com o químico industrial e consultor da Vitale7, Alder Flores, diversos estudos comprovam que beber água alcalina é essencial para um bom equilíbrio da acidez do sangue e facilita as funções biológicas do organismo. “Devido ao pH alcalino, essa água combate a hiperacidez e reduz as toxinas ácidas comumente associadas à doenças degenerativas. Além disso, o pH ácido obriga o nosso organismo a usar sua reserva de minerais alcalinos e outros mecanismos compensatórios, para manter o corpo com o pH equilibrado em 7,4”, explicou.

Ele também esclarece que o consumo de água com um pH superior a 7,0 é indicado para neutralizar os efeitos do consumo de alimentos ácidos e também contribui para a redução dos sintomas de distúrbios digestivos. “A verdadeira importância de consumir a água alcalina está na sua composição e nos seus efeitos essenciais, tão importantes e cruciais para nós”, pontou.

Benefícios

O primeiro passo para encontrar a água ideal está impresso no rótulo da marca: o pH. Como já citado, esse índice mostra a acidez e a neutralidade de uma substância. Segundo Alder Flores, o corpo deve ter um valor de pH do sangue de 7,36 a 7,44. “Devido ao nosso estilo de vida moderno e ao consumo de carnes, café, leite e açúcares processados, esses alimentos criam acidez no corpo. A água alcalina ajuda a balancear e a minimizar os efeitos colaterais do ácido”.

Entre os benefícios da água alcalina estão:

  • Manutenção da massa magra no corpo - Como a água alcalina tem magnésio em sua composição, é capaz de preservar a massa óssea, além de auxiliar no estímulo da perda de gordura e conservar a massa magra. Quando há falta de magnésio em nosso corpo, problemas relacionados à obesidade e diabetes começam a surgir;

  • Estrutura óssea mais forte - Existe uma célula óssea chama osteoclasto, que em locais com o pH ácido, destrói o tecido ósseo, liberando cálcio e magnésio, que são minerais alcalinos, na corrente sanguínea, não deixando acontecer a alteração do pH no sangue. Com o pH do sangue equilibrado, acontece uma inibição da destruição óssea, assim o magnésio é utilizado para fortalecer o tecido;

  • Desintoxica o corpo - Muitos fatores contribuem com o acúmulo de resíduos em nosso organismo, principalmente ácidos. Nosso corpo trabalha constantemente para eliminar os ácidos acumulados, podendo nos trazer alguns problemas de saúde. Ingerindo a água todos os dias, nosso organismo tem como neutralizar a acidez, fazendo uma limpeza dos ácidos dos tecidos e das células;

  • Atua contra o envelhecimento - Como a água tem poder antioxidante, ela é capaz de reduzir os efeitos de oxidação dos radicais livres do nosso organismo. Além de manter nossas células mais hidratadas, por serem muito ricas em minerais.

Água ácida

A diferença entre a água ácida e a alcalina é que a primeira tem um número maior de íons de hidrogênio (H+) que de hidróxido (OH-), e a segunda dispõe de mais íons de hidróxido do que de hidrogênio e ainda possui mais átomos de oxigênio.

“A água alcalina é conhecida como a água rica em oxigênio, elemento fundamental para todas as reações celulares e essencial para a vida. Já a acidez agrava mais ainda a deficiência de oxigênio. Logo, a água alcalina permite manter um nível rico em oxigênio, dificultando o crescimento de células tumorais”, conclui o químico.