Futebol Nacional

Após golear no Morumbi, São Paulo se apoia em sua história para confirmar vaga

04/05/16 - 07h44 - Atualizado em 04/05/16 - 07h45

Somente se sofrer sua maior goleada de sua história em Copas Libertadores o São Paulo será eliminado, nesta quarta-feira, diante do Toluca, no México, a partir das 19h15 (no horário de Brasília). Com tanto otimismo pela vaga nas quartas de final, a equipe tomou precauções para não se acomodar e deve jogar com uma formação cautelosa, com três volantes.

A vitória por 4 a 0 na semana passada, no Morumbi, dá ao time paulista a comodidade de apenas ser eliminado da competição em caso de uma desvantagem inédita em 18 participações. As maiores derrotas do São Paulo em Libertadores foram por três gols de diferença, placar limite para garantir a vaga na próxima fase.

O técnico Edgardo Bauza não quer correr o risco de vexame e vai armar uma formação mais defensiva. O meia Ganso fica no banco. No lugar dele, Wesley entra na equipe para formar um trio de volantes no meio-campo. O esquema é similar ao usado em La Paz, contra o The Strongest, na rodada final da fase de grupos da Libertadores. 

“Sabemos a importância da partida e estamos preparados. Gosto de jogar como segundo volante, reforçando a marcação e com chegada ao ataque”, explicou Wesley.

A única dúvida é o zagueiro Maicon, com febre. Lucão treinou no lugar dele nesta terça-feira, em Acapulco, litoral do México, onde o time chegou na segunda-feira para se preparar antes de viajar nesta terça até Toluca, cidade que fica a 2,6 mil metros de altitude.

O elenco saiu de São Paulo na noite de domingo, em voo fretado para diminuir o desgaste da viagem. A programação da viagem ao México contou ainda com a participação do auxiliar técnico Pintado. Desde sexta-feira ele está no país e no fim de semana acompanhou a partida do Toluca pelo Campeonato Mexicano.

DESPEDIDA - O Toluca faz nesta quarta-feira o último jogo sob o comando do técnico José Cardozo. O paraguaio anunciou no domingo depois da eliminação do clube no campeonato local, que vai deixar o cargo após o confronto com o São Paulo. “Nem tudo está perdido. Restam 90 minutos e a equipe tem que se entregar ao máximo. No futebol tudo pode acontecer”, disse o zagueiro Gamboa.