Alagoas

Após morte de colega por Covid-19, servidores da ADEAL cobram preferência e vacinação imediata

Assessoria | 31/05/21 - 13h27
Divulgação

A última semana foi de medo e incerteza para os integrantes do Sindicato dos Servidores da Fiscalização Estadual Agropecuária de Alagoas (Sinfeagro/AL), entidade que representa os servidores da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (ADEAL), após a morte de um dos colegas, César Luciano, que faleceu em decorrência de complicações da Covid-19. Durante todo o fim de semana, diversos servidores da Agência prestaram homenagens e manifestaram pedidos pela vacinação imediata de todos os trabalhadores do órgão.

Após o falecimento do fiscal agropecuário, a diretoria da ADEAL decidiu adiar o início da vacinação contra a Peste Suína Clássica em Alagoas, que começaria nesta segunda-feira (31), após um pedido dos servidores, que estão trabalhando desde o início da pandemia, sem interrupção, e expostos ao coronavírus diariamente durante as atividades de fiscalização agropecuária. 

O Sinfeagro, através da sua diretoria, explica que o adiamento da vacinação não se deu somente pela falta de imunizante, mas destaca que uma das premissas do Plano Brasil Livre Contra a Peste Suína Clássica, seria o fortalecimento do Serviço Veterinário Estadual, o que também não foi concretizado. “Além da vacinação, a nossa estrutura também passa por dificuldades, especialmente o nosso Serviço Veterinário Estadual e, até o momento, não temos resposta”, diz Flávia Marques, presidente da entidade.

Além disso, a diretoria destaca que apenas alguns médicos veterinários do órgão estão sendo imunizados, porque são considerados como trabalhadores da saúde. “Precisamos tomar a primeira e a segunda dose, e só poderemos retornar às atividades de vacinação imunizados. Alguns municípios não nos reconhecem como da área da saúde e não aceitam a vacinação, o nosso companheiro não teve a oportunidade de ser imunizado contra o vírus, pois a profissão não estava entre os grupos prioritários”, garante Flávia.

Na semana passada, o sindicato enviou mais um documento ao Governo de Alagoas, cobrando a vacinação imediata de todos os servidores da ADEAL. O primeiro pedido foi feito em janeiro deste ano, solicitando a inclusão dos servidores como grupo prioritário no Plano Estadual de Imunização contra a Covid-19, mas foi negado.

“Pedimos a vacinação de cerca de 50 servidores que ainda não foram imunizados, pois continuamos contribuindo com o Estado e estamos vulneráveis ao vírus, inclusive enfrentando dificuldades estruturais do serviço enquanto desempenham suas atividades essenciais à população alagoana e ao setor de Agronegócio do Estado, sem nenhuma interrupção desde o início da pandemia, adequando e mantendo os serviços e atividades em acordo com os decretos Estaduais que relaciona os serviços da ADEAL como atividade essencial no dia 20 de março de 2020”, relembra Flávia.

Por isso, a direção do Sinfeafro entende que é necessário e urgente a realização e operacionalização de um cronograma de vacinação para todos os servidores da ADEAL.