Alagoas

Após quase dois meses, 1º alagoano transplantado de fígado no Estado recebe alta médica

Agência Alagoas | 10/07/21 - 17h44

O profissional de educação física Jorge Ricardo Queiroz de Andrade, de 57 anos, primeiro alagoano transplantado de fígado no Estado, recebeu alta médica e retornou ao convívio familiar nessa sexta-feira (9). Ele ficou internado na Santa Casa de Maceió durante 57 dias, após passar por um procedimento cirúrgico de alta complexidade e receber o novo órgão, o que o possibilitou voltar a sonhar com uma vida normal, sem a expectativa e a angústia de ter que encontrar um doador compatível.

Em sua residência, Jorge Ricardo Queiroz de Andrade está se adaptando à nova vida e, ainda em recuperação da complexa cirurgia a que foi submetido, recebe o carinho da esposa e dos filhos. Unidos, eles comemoram o milagre da vida e o fato de o educador físico ter conseguido o tão sonhado transplante e, o melhor, sem ter que sair de Alagoas. “Foi uma luta árdua, dias de grande sofrimento, mas, tive sorte dupla, porque nosso Estado finalmente foi habilitado para realizar o transplante de fígado e fui o primeiro a conseguir um doador compatível”, comemora o profissional de educação física.

Flamenguista de coração, ele diz que está seguindo à risca as orientações médicas para que, tudo ocorra bem e, dentro em breve, possa voltar à normalidade. “Estou seguindo uma dieta rígida, passada pela nutricionista, e também as orientações que o doutor Oscar Ferro [cirurgião que fez o transplante] me passou. Quero me restabelecer para voltar a viver normalmente, seguindo sempre o que me for orientado pela equipe médica”, ressalta o profissional de educação física, que foi vítima de cirrose, em decorrência de uma hepatite.

Trabalho Árduo

E a vitória obtida por Jorge Ricardo Queiroz de Andrade ocorreu depois que um trabalho árduo, onde técnicos da Central de Transplantes, órgão vinculado à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), conseguiram credenciar Alagoas para realizar transplantes de fígado. O novo procedimento passou a ser executado no Estado, graças à Portaria Federal N°313, expedida em 7 de abril de 2020, que habilitou a Santa Casa de Maceió a realizar o procedimento, conforme ressalta o secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres.

“Percorremos um caminho longo até que Alagoas foi habilitado para realizar o transplante de fígado, evitando que os alagoanos tenham que migrar para outros Estados. Essa conquista mostra o novo momento da saúde pública estadual, que amplia a Rede Hospitalar, o número de leitos, mas, também, investe na humanização da assistência dos pacientes e na oferta de novos serviços de Média e Alta Complexidade, como o transplante de fígado”, salientou o gestor da saúde estadual.

Para a coordenadora da Central de Transplantes, Daniela Ramos, saber que Jorge Ricardo Queiroz de Andrade já está em sua residência, é o coroamento de todo o trabalho realizado pela Sesau, visando habilitar Alagoas para realizar o transplante de fígado. “Parece ser algo simples, mas, para que nosso Estado fosse habilitado a realizar o procedimento, foi necessário dispor de uma equipe médica qualificada, que atendesse aos pré-requisitos cobrados pelo Ministério da Saúde, o qual faz inúmeras exigências, uma vez que o procedimento cirúrgico é de Alta Complexidade”, ressaltou.

Balanço

Conforme dados da Central de Transplantes de Alagoas, o Estado realizou 26 transplantes este ano, sendo 26 de córnea e um de fígado, que contemplou Jorge Ricardo Queiroz de Andrade. Com relação à fila de espera, atualmente há 327 alagoanos aguardando por um transplante de córnea, 140 por um de rim, três por um novo coração e um espera por um fígado. “Para ser um potencial doador de órgãos, basta comunicar a família o desejo, não sendo mais obrigatório deixar registrado na Carteira de Identidade”, salientou a coordenadora da Central de Transplantes de Alagoas.