Política

Bolsonaro desembarca em Washington para encontro com Trump

Reunião na Casa Branca acontecerá somente na terça-feira; primeiro compromisso oficial é jantar com lideranças políticas e jornalistas da direita americana

Veja | 17/03/19 - 09h46 - Atualizado em 17/03/19 - 15h48

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) chega neste domingo, 17, a Washington, D.C., nos Estados Unidos, onde se encontrará com Donald Trump. O primeiro compromisso oficial na agenda do presidente é um jantar com lideranças políticas e jornalistas da direita americana, oferecido pelo embaixador do Brasil, Sérgio Amaral, na residência oficial.

A reunião na Casa Branca acontecerá somente na terça-feira, 19. Bolsonaro e Trump devem conversar de forma privada antes de participarem de uma coletiva de imprensa.

O encontro já tem um efeito preanunciado – o Acordo de Salvaguardas sobre a Base de Lançamento de Alcântara -, que colocará o Brasil em um mercado que movimentou 3 bilhões de dólares em 2017. Ir além disso e engajar as economias dois países em um círculo de integração maior, porém, é algo que nem a simpatia pessoal nem a afinidade ideológica entre seus líderes poderá garantir.

Acompanham o presidente na viagem os ministros de Relações Exteriores, Ernesto Araújo; Economia, Paulo Guedes; Justiça, Sérgio Moro; Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno; Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes; ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque; e Agricultura, Tereza Cristina. O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do líder brasileiro, também já está na capital americana.

Bolsonaro desembarcará na Base Aérea de Andrews, em Washington, por volta das 16h do horário local (17h de Brasília). Dali, segue para a Blair House, onde ficará hospedado. O palácio de 1824 é destinado a receber os convidados de Estado em visita ao governo dos Estados Unidos, e fica em uma área ao lado da Casa Branca.

Pela noite, o presidente participará do jantar na residência oficial do embaixador do Brasil em Washington. Os participantes ainda não foram confirmados pela Presidência, mas sabe-se que o controverso ex-estrategista da campanha e conselheiro sênior de Donald Trump, Steve Bannon, foi convidado.

O responsável pelo blog de extrema-direita Breibart News, se desentendeu com o líder republicano em 2018, depois de uma série de comentários controversos sobre o movimento nacionalista branco.

O jantar é visto por representantes do Itamaraty como uma grosseria do presidente brasileiro, que se encontrará com o desafeto de Trump antes mesmo do aperto de mão oficial com o líder americano.

Olavo de Carvalho, o acadêmico conservador americano Walter Russell Mead e Gerald Brant, executivo do mercado financeiro em Nova York, responsável pela ponte da família Bolsonaro com Bannon, também devem estar presentes.