Gente Famosa

Bruna Surfistinha é indiciada após denúncia de síndica

Gabriel Amorim* | 26/06/24 - 09h05
Crédito: Reprodução / Instagram

Raquel Pacheco, conhecida como Bruna Surfistinha, foi indiciada pela Polícia Civil de São Paulo. O inquérito, investigado pelo Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), foi concluído nessa terça-feira (25).

Bruna é acusada de maus-tratos a animais. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o inquérito policial será apreciado pela Justiça, que irá decidir se a personalidade irá responder pelo crime.

Caso seja condenada, Bruna pode responder a uma pena de três meses a um ano, além de multa.

O TNH1 não conseguiu contato com a defesa de Bruna, mas deixa o espaço aberto para eventual manifestação.

Denúncia de síndica - O caso chegou à polícia depois que a síndica do prédio que Bruna mora registrou um boletim de ocorrência por ato de abuso a animais. 

Na época, a mulher denunciou que Bruna havia alugado o imóvei há cerca de seis meses, mas que deixou o local por 20 dias depois que o fornecimento de energia elétrica foi interrompido por falta de pagamento. 

No entanto, segundo a síndica, os animais teriam ficado em estado de abandono. Moradores do prédio teriam reclamado do cheiro forte de fezes e urina, e que Bruna aparecia esporadicamente para limpar o local e alimentar os animais.

No final de novembro de 2023, policiais foram até o prédio, onde resgataram os animais e solicitaram uma perícia. Além dos policiais, ativistas estiveram no local. Uma delas foi Luisa Mell.

Bruna Surfistinha se manifestou

Acusada de maus-tratos, Bruna chegou a publicar um vídeo à época, nas redes sociais, alegando que teria sido proibida de entrar no imóvel.

 "Esse foi o primeiro dia de tentativa de entrar no apartamento", disse ela na porta do prédio. Depois, Bruna aparece novamente e fala que foi proibida pela segunda noite.

E continua: "E no terceiro dia, eu acordei de manhã já com a notícia de que meus bichos estavam sendo retirados do apartamento. O maior absurdo é que tudo foi arquitetado para que eu me enquadrasse como criminosa por abandono aos meus bichos", alegou.

A defesa de Bruna disse que ela estava devendo o aluguel do apartamento e sendo pressionada a se retirar. Ainda, ressaltou que não houve abandono de animais e que ela chegou a vê-los mesmo após sair do local.

*Estagiário sob supervisão, com g1