Maceió

Caixa pede mais 15 dias para explicar recusas de financiamento em 15 bairros de Maceió

Eberth Lins com TV Pajuçara | 01/04/21 - 12h12 - Atualizado em 01/04/21 - 12h45
Foto: Google

A recusa de 1.375 CEPs (Código de Endereçamento Postal) de Maceió por seguradoras para financiamentos imobiliário pela Caixa Econômica Federal em Maceió segue sem uma explicação.  A Caixa pediu mais quinze dias para dar respostas sobre o problema, que atinge imóveis tanto da área de risco devido à mineração de Sal-gema, como fora dessa região. A solicitação das informações foi feita por quatro órgãos: Defensoria Pública da União e do Estado e Ministérios Públicos Federal e Estadual.

À TV Pajuçara/ Record TV, o defensor público da União, Diego Bruno Martins Alves, informou que a Caixa solicitou a prorrogação do prazo por mais quinze dias com o intuito de  discutir o assunto internamente, além de conversar com as empresas seguradoras.

"Considerando a complexidade e relevância no tratamento da presente demanda, registramos que o ofício encontra-se em tratamento pelas áreas gestoras da Caixa. Diante do exposto, solicitamos a dilação do prazo por mais 15 dias", respondeu a Caixa, por meio de documento assinado pelo gerente da Rede de Varejo, Nedson Calheiros Bittencourt Júnior e pelo superintendente de Rede, Sander Alex Farias, no último dia 30.

O pedido da DPU faz parte de um Procedimento de Assistência Jurídica, que foi aberto após sair a notícia de que 11 bairros de Maceió foram excluídos do financiamento imobiliário.

15 bairros

A recusa dos CEPs pode inviabilizar financiamentos de imóveis e a cessão dos mesmos como garantias para empréstimos em endereços localizados nos bairros Canaã, Chã da Jaqueira, Chã de Bebedouro, Farol (incluindo as ruas Thomaz Espíndola, Dom Antônio Brandão e Angelo Neto), Feitosa, Gruta de Lourdes, Jardim Petrópolis (incluindo os condomínios Aldebaran), Levada, Petrópolis, Pitanguinha, Santo Amaro, Bebedouro, Bom Parto, Mutange e Pinheiro .

Na semana passada, a Caixa Econômica informou  ao TNH1 ter conhecimento das recusas e disse que o seguro é garantia imprescindível para a disponibilização de crédito imobiliário.