Futebol

Canindé diz gostar de clássicos e projeta CSA x CRB: "O bicho pega"

02/02/17 - 19h30 - Atualizado em 02/02/17 - 19h39
Pei Fon / Portal TNH1

Preocupado com o calendário apertado e o risco de lesões em jogadores importantes, o técnico Oliveira Canindé escalou apenas dois titulares na vitória sobre o Coruripe por 1 a 0, na última quarta-feira (1), no Estádio Gérson Amaral. Concentrado no Clássico das Multidões com o CRB e a decisão com o Sport pela Copa do Brasil, o treinador do CSA explicou a situação.

"Teremos uma semana muito difícil. Jogaremos com o CRB domingo, com o Sport na quarta (8) [pela Copa do Brasil], sábado (11) contra o Itabaiana [Copa do Nordeste]. Precisávamos desse descanso. Alguns atletas também sentiram, nem no banco pude trazer porque se colocasse podia estourar. Temos jogos difíceis. E uma torcida que cobra, sabe que precisamos vencer. Sabemos que precisamos corresponder, e pra isso é necessário entrega, para isso é necessário o descanso para nos doarmos dentro de campo e buscarmos o resultado a todo custo", analisou. 

Diante do Coruripe, o Azulão poupou oito titulares: Denílson, Douglas, Leandro Souza, Panda, Everton Heleno, Cleyton, Didira e Daniel Cruz. A equipe alternativa recheada de laterais deu conta do recado e manteve o CSA com 100% de aproveitamento no Campeonato Alagoano. 

"Sabíamos que encontraríamos dificuldades, é normal, por jogar na casa deles, eles teriam que forçar o jogo. Tínhamos que buscar o resultado com inteligência, usando o elenco para que o resultado aconteça. Aconteceu, mérito do grupo pela dedicação, superação e vontade de vencer", comentou. 

O próximo desafio é o rival CRB. Sob o comando de Canindé, o Azulão enfrentou o Galo seis vezes. Foram duas vitórias, um empate e duas derrotas. O técnico não esconde a ansiedade pelo confronto.  

"Eu gosto muito de clássico, acho que se eu pudesse saltar todos os jogos para disputar clássico, assim faria. É o meu perfil. Quando eu jogava, era o jogo que eu mais gostava de disputar. Falo para os meus atletas: "Se prepararem para trabalhar comigo, porque gosto de jogos difíceis". É preciso encarar os adversários como iguais, mas sabendo que tem total capacidade para superá-los. Se tivermos essa capacidade de nos impor, fazer o nosso melhor, por mais difícil que seja, temos chance de vencer", afirmou. 

Questionado sobre os times estarem em início de temporada e ainda em busca da formação ideal, Canindé não adotou discurso padrão.   

"[Temporada] Está no começo, sabemos. Mas pergunte para o torcedor, pergunte ao adversário, pergunte se eles querem saber se é o começo. Colocou a camisa azul de um lado e a vermelha do outro, pau vai troar de todo jeito. Não tem pra ninguém. Pode querer pintar de todo jeito, não adianta, é clássico. Se é clássico, o bicho pega", cravou. 

CSA e CRB duelam neste domingo (5), às 19h, no Rei Pelé, pela segunda rodada do Grupo D da Copa do Nordeste.