Polícia

Cantor foi morto por marido de colega de trabalho após descobrir traição, diz delegado

TNH1 com Ascom PC | 07/07/20 - 15h18 - Atualizado em 07/07/20 - 16h33
Arquivo Pessoal

O delegado Bruno Emilio, presidente do inquérito que investigou o homicídio contra o cantor Rhuan Miguel dos Santos Vieira, de 24 anos, confirmou que a vítima teve um relacionamento amoroso com a esposa do autor do crime. A declaração foi dada nesta terça-feira (07).

O jovem foi morto a tiros na Rua Santos Pacheco, no Centro de Maceió, no dia 22 de maio deste ano. O crime foi cometido no momento em que Rhuan estacionava seu veículo nas proximidades da Santa Casa de Maceió, onde trabalhava. Ele foi executado à queima-roupa e o atirador fugiu numa motocicleta que estava na esquina, pilotada por um comparsa. 

De acordo com as investigações, Rhuan e a mulher eram colegas de trabalho e tiveram um relacionamento extraconjugal. Ela teria relatado a traição ao esposo, que planejou a morte do jovem com outra pessoa, um homem de 24 anos que foi o primeiro a ser preso, no dia 17 de junho, em Maceió.

Durante o interrogatório, o marido confessou o crime e isentou a companheira de qualquer participação no homicídio. Os dois foram detidos no dia 24 de junho, após uma ação integrada entre a Polícia Civil (PC) de Alagoas, por meio da DHPP, e o Departamento de Polícia Metropolitana da PC do Ceará. O casal havia se dividido, mas foi localizado nas cidades de Tauá e Fortaleza. 

Para a polícia, o crime está esclarecido e os três envolvidos presos.

Assista à reportagem do programa Fique Alerta, da TV Pajuçara: