Interior

Casos de covid-19 chamam atenção em Satuba; secretário de Saúde diz que números podem ser ainda maiores

Eberth Lins | 22/05/20 - 12h12 - Atualizado em 22/05/20 - 12h14
Foto: Prefeitura de Satuba

Com 100 casos confirmados e dois óbitos causados pelo coronavírus, conforme o último Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), divulgado na tarde de ontem (21), o município de Satuba, localizado na Região Metropolitana de Maceió, figura como a cidade com mais casos de covid-19 na relação por habitantes em Alagoas.

Ao TNH1, o secretário de Saúde da cidade, Diógenes José Neto Amorim, disse que o número está diretamente ligado à resistência da população para o cumprimento do isolamento social.

“Estamos de domingo a domingo com uma equipe de 10 profissionais de saúde na rua para levar orientações sobre a doença, mas, no geral, a população de Satuba tem sido extremamente desobediente para a recomendação de isolamento. Nas ruas o que a gente constata são pessoas transitando como se nada estivesse acontecendo”, frisou.

Entre as medidas adotadas na cidade, segundo o secretário, foram isolados todos os equipamentos públicos de lazer e convivência, a exemplo de praças, campos e quadras. “Também adotamos um distanciamento mínimo entre as barracas das feiras e, semanalmente, vamos ao pátio da feira para verificar o cumprimento e distribuir materiais de higiene aos permissionários”, detalhou.

Conforme o secretário, o município de Satuba realizou cerca de 200 testes rápidos, número considerado por ele muito abaixo do necessário. “Acredito que o número atual (100 casos confirmados) só representa 40% dos casos na cidade. Falo isso considerando a baixa testagem, os casos assintomáticos e as pessoas que apresentam sintomas, mas acham não ser nada grave e ficam em casa sem procurar o serviço de saúde”, afirmou, acrescentando que só a comunidade conhecida como ‘Nova Satuba’ contabiliza 60 casos da doença.

O secretário disse ainda que as medidas adotadas “não estão surtindo efeito” e que a Prefeitura deve buscar formas de reforçar a fiscalização na cidade.

“Nós não temos guardas municipais em Satuba e em conversa com o prefeito já levantei a necessidade de um reforço da fiscalização para o cumprimento dos decretos, o que deve ser solicitado. Por hora, a gente depende exclusivamente da contribuição da população. Esses números são reflexos do não cumprimento do isolamento nos últimos 15 dias e se a população não mudar o comportamento a situação no município tende a agravar”, alertou.