Futebol

Daniel Costa é apresentado no CSA e mira alto: "Títulos e acesso"

07/02/17 - 17h45 - Atualizado em 07/02/17 - 17h52
Paulo Victor Malta / Portal TNH1

O meio-campista Daniel Costa foi apresentado oficialmente pelo CSA na tarde desta terça-feira (7), no CT do Mutange. O jogador assinou contrato até o final da temporada. Em entrevista coletiva, o meia elogiou a estrutura do clube e os dirigentes, explicou que precisa de uma mini pré-temporada para poder atuar e afirmou que volta ao Azulão para buscar títulos e o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro. 

"Comprometimento e a direção que está aqui. São homens, pessoas que conheci em 2014, de caráter, o que é muito difícil encontrar no futebol. E pela ascensão no clube, de 2014 para cá isso é notório. Que esse ano o clube possa continuar subindo. Vim para somar e espero ajudar da melhor maneira", discursou.

Aos 28 anos, Daniel Costa retorna ao Azulão após três temporadas fora. O meia foi rebaixado com o América-RN na Série B do Brasileiro em 2014, mas depois foi campeão potiguar no ano seguinte. Pelo Santa Cruz, Daniel foi vice-campeão brasileiro na Série B em 2015 e conquistou o campeonato pernambucano e a Copa do Nordeste em 2016. 

"Perdi cabelo. Isso é um fato (risos). Volto mais experiente. Tive momento ruins, descensos, momentos bons, acesso para Série A, títulos, coisas que não tinha na minha carreira e consegui há pouco tempo. Volto um jogador com bagagem e espero poder ao máximo usar essa minha experiência para com o grupo e poder ajudar o CSA", analisou. 


Meia assinou contrato com o CSA até o final do ano (Foto: Paulo Victor Malta / Portal TNH1)

Confira outros trechos da entrevista de Daniel Costa. 

Acerto com o CSA

"Pelo fato de estar negociando minha saída do time turco. Desde o inicio mostrei motivado para vir. A demora foi somente a burocracia de sair do país e voltar ao Brasil". 

Retomar trajetória de 2014

"Que dessa vez possa ter um final feliz com títulos e buscar o objetivo maior do clube no ano que é o acesso à Série B". 

Condição física

"Foi uma experiência boa, futebol diferente, cultura também. Fisicamente não estou 100%. Estou há alguns dias parados sem treinar. Conversei com a comissão. No máximo, estourando 10 dias, estarei à disposição do professor Oliveira. Sou um armador da moda antiga, não tenho a velocidade, não tenho a rapidez. Mas procuro compensar isso com passes, bolas longas e chutes de longa distância. Principal característica é a bola parada. Quando passei aqui isso foi mostrado, fiz vários gols assim e espero fazer isso nesta passagem, fazer igual ou até mais".

Regularização 

"Quando o jogador tem vontade, a parte física fica em segundo plano. Mas a burocracia de documentos não vai ser tão fácil assim, mas espero estar apto o quanto antes". 

Copa do Nordeste

"É uma competição que cresceu muito no Brasil, tem visibilidade muito boa. Ano passado tive a felicidade de ser campeão pelo Santa Cruz. Competição diferente. Clássicos regionais quase toda rodada. Jogador gosta de jogos assim, jogos de clássico são bons. Copa do Nordeste proporciona isso. Espero poder fazer um bom campeonato junto ao elenco".

Postura de capitão? 

"Eu não tenho muito essa característica de cobrar, dar dura. Isso não é minha característica. Mas vou procurar ao máximo orientar e conversar porque tive umas experiências durante minha carreira. Procurar passar para os mais novos, menos experientes, para estarmos sempre juntos e fortes para conquistar a vitória". 

Volta para marcar?

"A gente sabe que no futebol muitos cobram... Corra, marca, dê carrinho. Mesmo não sendo minha característica, vou procurar fazer o máximo para que possa ajudar o grupo e sempre no final o CSA sair vencedor". 

Tempo de treino

"No máximo 10 dias. Uma semana trabalhando forte com a preparação física acredito que estarei à disposição. Professor me conhece, sabe da maneira que jogo. Somente procurar estar apto fisicamente para estar à disposição". 

Retorno ao CSA

"Um dos motivos de ter voltado foi essa ascensão do clube, mudança que teve de três anos para cá é notório. Você vê quando entra no CT. Ano para continuar se firmando e subindo. Com o grupo que temos aqui, temos tudo para conseguir isso". 

Negociou com o CRB?

"Com o CRB não teve nada de concreto. Somente uma pessoa me procurou, perguntou se poderia falar meu nome lá, mas não passou disso. Não houve proposta concreta. Teve outro clube do Nordeste que me ligou, mas eu já estava conversando com o CSA, então estava focado em voltar para cá". 

Contrato

"Até o final do ano. Isso foi conversado e vou ficar até o final do ano. Espero que a gente suba para renovar por mais um ano".