Alagoas

Desespero de homem que perdeu tudo na inundação em União comove web

Lelo Macena | 04/07/22 - 16h57
Reprodução

A cena é comovente e representa bem o desespero e a desolação de milhares de alagoanos atingidos pelas chuvas que castigam Alagoas e provocam as cheias dos principais rios que cortam o Estado. Com água acima do joelho, mão no rosto, cabeça baixa, o morador de União dos Palmares é o retrato da derrota. Vencido pelas águas do Rio Cana Brava, afluente do Mundaú, após constatar que perdeu quase tudo que tinha, ele chora, cambaleia e cai nas águas do rio que saíram de seu leito e invadiram as ruas do bairro Roberto Correia der Aarújo, próximo à ponte Mata Quatro, onde mora com a família. É amparado pelo amigo, que vai em sua direção, o abraça e o traz para terra firme.

O nome dele é Wilson Andrade Gomes da Silva, de 45 anos, conhecido na cidade como "Vita". Está desempregado e faz bico como jardineiro. "O Vita não tem carteira assinada, não é fichado, trabalha como jardineiro, mas só em dias de sol. Como tem chovido muito nas últimas semanas, ele está parado. Estava muito preocupado com as contas pra pagar, aluguel, água, energia. Aí acontece uma coisa dessa, foi um baque pra ele e para todos nós", conta a esposa de Wilson Andrade, a dona de casa Tarciana Pedro da Silva, ao tentar explicar o desespero do marido naquele momento.

Segundo ela, o fato aconteceu na tarde de sábado, 2. Desde a madrugada do mesmo dia, a água começou a invadir a casa, coisa que nunca havia acontecido durante os últimos dez anos na região. "Conseguimos tirar a geladeira, o fogão, a TV e o bujão de gás. Todo o resto se perdeu, toda a mobília de casa, objetos, e nossas roupas", conta Tarciana. Segundo ela, o marido caiu em depressão desde sábado. "Ele está muito triste, não comia nada desde aquele dia. Hoje fui na casa da minha mãe e trouxe almoço. Ele comeu um pouco, mas comeu, graças a Deus", disse Tarciana. Agora, a família conta com a ajuda de amigos e de familiares. Quem puder ajudar, pode ligar para o número 82 99320-4002.

Doze anos depois, a história se repete em União dos Palmares. Em 2010 a cidade foi devastada pela enchente do Rio Mundaú, que varreu o que havia em suas margens, provocando mortes e destruição nas cidades ribeirinhas. Por conta da tragédia daquele ano, a cidade foi reconfigurada e as moradias às margens do rio deixaram de existir, o que evitou novas mortes nesse fim de semana. Até agora, União dos Palmares tem 353 desabrigados e 1647. Ao todo, são 2.001 pessoas diretamente afetadas pelas chuvas. Na tarde desse domingo, 3, um homem de 37 anos foi encontrado sem vida. Segundo informações apuradas pelo TNH1, Eldir Mizael de Lima tentou atravessar a ponte no Riacho dos Macacos uma vez e não conseguiu. Porém, em uma segunda investida no início da madrugada, quando o nível da água parecia estar baixando, Eldir atravessou e não foi mais visto. O corpo foi localizado por populares horas depois.