Economia

Eletrobras vende distribuidora do Piauí para a Equatorial

Cepisa foi a primeira das cinco empresas que o governo pretende privatizar

26/07/18 - 15h12 - Atualizado em 26/07/18 - 15h17
Pexels


A Equatorial Energia venceu o leilão de privatização da Cepisa, distribuidora da Eletrobras no Piauí. A empresa deu o único lance do pregão, organizado pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) na Bolsa de Valores B3, na capital paulista.

Pelas regras do leilão, que ofertou a Cepisa a um valor simbólico de R$ 50 mil, a proponente que ofertasse o maior deságio — desconto na tarifa de energia — arremataria a companhia.

    A Equatorial, que já tem distribuidoras Cemar, no Maranhão, e Celpa, no Pará, propôs um índice combinado de deságio e outorga de 119%. Isso significa que a conta de luz dos piauienses terá desconto de cerca de 8,5%, e a empresa pagará um bônus de outorga ao governo federal no valor de R$ 95 milhões. Adicionalmente, a empresa deverá fazer um aporte de R$ 721 milhões na Cepisa.

    O desconto no preço da energia terá efeito ao consumidor em até 45 dias após a Equatorial assumir o controle da distribuidora, o que deve acontecer nos próximos 3 meses.

    A Cepisa foi a primeira das seis distribuidoras da Eletrobras a ser privatizada. Além dela, deverão ser vendidas distribuidoras nos estados do Acre, Alagoas, Amazonas, Rondônia e Roraima. A negociação da alagoana Ceal está suspensa por decisão liminar do STF, o que pode ocasionar o adiamento do leilão das distribuidoras, previsto para o fim de agosto.