Maceió

Em um mês, cinco pessoas morreram por acidentes em rodovia de Maceió

João Victor Souza | 21/08/21 - 07h12 - Atualizado em 21/08/21 - 07h12
Arquivo

Em um mês, pelo menos cinco pessoas morreram vítimas de acidente de trânsito em duas das principais vias de Maceió, as avenidas Fernandes Lima e Durval de Góes Monteiro, que são extensão da BR-104 e ligam a parte alta ao Centro da capital. As vítimas foram três pilotos de moto, um passageiro e um pedestre.

O primeiro acidente ocorrido nesse período teve grande repercussão. O bancário Sérgio Praxedes dirigia embriagado um Jeep Renegade quando, nas primeiras horas da manhã do dia 23 de julho, invadiu a contramão da Avenida Fernandes Lima e bateu de frente com duas motos. Sérgio Praxedes foi preso em flagrante e depois indiciado pela Polícia Civil por homicídios dolosos e lesão corporal grave.

Pedro Alves de Souza, que era vigilante e se deslocava para o trabalho, estava sozinho e morreu no local antes dos primeiros socorros. José Cícero da Silva Santos, que vinha em outra moto, também não resistiu ao atropelamento. A única sobrevivente foi Quitéria Gonçalves de Amorim, esposa de José Cícero, que estava como passageira do veículo. Ela passou dias internada no HGE e foi submetida a cirurgia pois fraturou a pelve.

No último dia dia 14 de agosto, o piloto e o passageiro de uma moto morreram após colisão com carro de modelo Jetta, na Avenida Durval de Góes Monteiro. O condutor, que provocou a batida, abandonou o veículo no local. Os populares que presenciaram o acidente ficaram revoltados e atearam fogo no Jetta. Quase uma semana depois, o motorista se apresentou à polícia e negou que estava embriagado ou que participava de racha. 

A moto era guiada pelo mototaxista José Ailton da Silva, de 44 anos, que chegou a ser socorrido com traumatismo crânioencefálico e morreu no hospital. Na garupa estava o paranaense Rafael Aparecido Pereira, 36 anos, que faleceu ainda no local. Uma câmera de segurança mostrou o momento que os dois entram na avenida e seguem na faixa próxima ao canteiro, momentos antes de serem acertados em cheio pelo Jetta.

Nessa quinta-feira, 19, a pedestre de 53 anos, identificada como Edite Maximiniano, morreu após ser atingida por moto, também na Avenida Durval de Góes Monteiro. O motociclista envolvido no acidente, o jovem Alex da Silva Carvalho, de 20 anos, caiu do veículo e ficou ferido ao ser arremessado para baixo de um automóvel que passava pela via. 

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) confirmou à reportagem que, de janeiro a julho de 2021, 404 acidentes foram contabilizados nas vias da capital. As avenidas Fernandes Lima, Durval de Góes e Menino Marcelo concentram a maioria das ocorrências.